Apicultores tocantinenses levantam demandas para fortalecer o setor
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,144 (0,48%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (-0,09%)


Agronegócio

Apicultores tocantinenses levantam demandas para fortalecer o setor

Apicultores de todo o Estado debateram as demandas do setor
Por:
706 acessos
Representantes de associações e apicultores tocantinenses levantaram as demandas do setor, tais como dificuldades na infraestrutura das casas de mel existentes, necessidades de assistência técnica, cursos de capacitação na área de gestão operacional e comercial. As questões foram discutidas e apresentadas durante reunião, na tarde dessa quarta-feira, 28, na Setas – Secretaria do Trabalho e Assistência Social. O presidente da Fetoapi – Federação Tocantinense de Apicultores, Antonildo Medeiros, que conduziu a reunião, encaminhará as reivindicações para os órgãos competentes e posteriormente dará um posicionamento para os apicultores.

Os apicultores buscam apoio para se estruturarem e fortalecerem o setor no Tocantins. A Fundação Banco do Brasil, já disponibilizou R$ 1,3 milhão para construção de dez casas do mel, e outros R$ 234 mil para custear cursos de capacitação e as despesas com as visitas de acompanhamento das obras de construção das casas.

Dentre as demandas levantadas, os apicultores solicitaram para a Setas equipamentos para processamento e embalagem do mel que será produzido nas casas e entrepostos.

Já para a Seagro – Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário - foi solicitado apoio para reformar cinco casas de mel, dos municípios de Wanderlândia, Barrolândia, Nova Olinda, Crixás e Miracema. Além disso, os produtores pedem apoio para aquisição de equipamentos para estruturar os entrepostos das cidades de Axixá, Colinas, Nazaré, Palmas, Porto Nacional e Figueirópolis.

Cinco técnicos do Ruraltins e um da Seagro para ficarem à disposição da apicultura também entraram na lista de pedidos, bem como também, a viabilização junto à Secretaria de Ciência e Tecnologia, cursos de aperfeiçoamento de gestão do agronegócio apícola.

A médica veterinária da Seagro, Érika Jardim falou das principais propostas para fomentar e desenvolver a apicultura tocantinense, informando que serão realizados quatro cursos de gestão de apiário, cursos de gestão para levantar os custos de produção e determinar o valor de comercialização, preferencialmente por apiário.

Érika Jardim também anunciou a realização de curso de boas práticas, que abordará a melhor forma de manejo, visando à alta produtividade, além de mais quatro oficinas, que tratará de planejamento, bem como a participação dos produtores no Congresso Brasileiro da categoria, realizado em Gramado Rio Grande do Sul, Seminário Estadual e Encontro das Associações dos Apicultores, em Palmas. Essas ações serão custeadas com parte do recurso de R$ 234 mil da Fundação Banco do Brasil.

De acordo com o presidente da Fetoapi, o Estado conta com 52 associações e duas cooperativas de produtores de mel, num total 1.350 apicultores. Atualmente o Tocantins produz 250 toneladas de mel por ano e a meta é que até 2015 se produza mil toneladas, com o funcionamento de todos os entrepostos entregues neste ano.

Municípios beneficiados

As dez casas de mel serão inauguradas em Sampaio, São Miguel, Esperantina, Nova Olinda, Brejinho de Nazaré, Crixás, Aliança, Formoso do Araguaia, Araguaçu e Jaú do Tocantins. Já os entrepostos devem ser concluídos até o final do ano nos municípios de Palmas, Axixá, Figueirópolis e Colinas.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink