Leite

Após seis meses de queda nos preços do leite, mercado sinaliza recuperação

O leite entregue em novembro, a ser pago em dezembro pelos laticínios, deve ter alta de 5,2%
Por:
190 acessos

O mercado sinaliza uma lenta recuperação depois de seis meses de preços em queda decorrentes da redução generalizada de consumo de leite e derivados pelas famílias brasileiras. Essa situação foi dimensionada neste mês pelo Conselho Paritário Produtor/Indústrias de Leite do Estado de Santa Catarina (Conseleite/SC), que esteve reunido nesta semana em Chapecó para definir os valores de referência para o mês.

De acordo com projeção do Conselho, o leite entregue em novembro a ser pago em dezembro pelos Laticínios terá um aumento de 5,2% nos valores de referência, o que equivale a 5 centavos a mais por litro. Os valores projetados são os seguintes: leite acima do padrão R$ 1,1553/litro; leite padrão R$ 1,0046 e abaixo do padrão R$ 0,9133. Os valores se referem ao leite posto na propriedade com Funrural incluso.

Recuperação do preço do leite

O consumo interno melhorou um pouco e as maciças importações do Uruguai foram suspensas. Esses fatores repercutiram na recuperação de preços, analisa o vice-presidente do Conseleite/SC e vice-presidente regional da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), Adelar Maximiliano Zimmer.

Ele avalia que os preços experimentarão uma lenta marcha de recuperação, mas, somente a retomada do consumo em grande escala irá recompor a rentabilidade da cadeia produtiva de lácteos. O consumo baixo é reflexo indesejável da queda de renda do brasileiro. Lembra que o desemprego recuou, mas, ainda atinge 12 milhões de famílias. “Estou convicto que os preços de remuneração dos produtores não cairão nos próximos meses, mas a recuperação das perdas vai demorar”, diz Zimmer.

Expressão nacional

Santa Catarina é o quarto produtor nacional. O Estado gera 2,9 bilhões de litros ao ano. Praticamente todos os estabelecimentos agropecuários produzem leite, o que gera renda mensal às famílias rurais e contribui para o controle do êxodo rural. O oeste catarinense responde por 75% da produção. Os 80.000 produtores de leite (dos quais, 60.000 são produtores comerciais) geram 8,3 milhões de litros/dia, mas, a capacidade industrial está estruturada para processar até 10 milhões de litros de leite/dia.

 

 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink