Após sinalizar reajuste, Embrapa apresenta valores de benefícios

Agronegócio

Após sinalizar reajuste, Embrapa apresenta valores de benefícios

No 7º dia de paralisação decretada pelo Sinpaf, somente 22% dos empregados aderiram à greve
Por: -Renata
336 acessos

Após sinalizar, em reunião realizada na terça-feira (9), em Brasília, com o Sinpaf, a possibilidade de oferecer 4,5% de reajuste salarial e também para as demais cláusulas econômicas do Acordo Coletivo de Trabalho 2009/2010, a comissão de negociação da Embrapa divulgou os valores que seriam praticados com o aumento: auxílio refeição (tíquete) - R$ 18,00; auxílio creche - R$ 310,08 e auxílio excepcional - R$ 412,62.

Modernização das instalações

Durante a discussão do ACT, conforme registrado em ata assinada pelos representantes da Empresa e do Sindicato, a Embrapa reafirmou seu compromisso em “modernizar todas as instalações de trabalho da empresa, em especial as áreas de laboratórios e de campos experimentais, realizando projetos na área de segurança e saúde do trabalho para os ambientes laborais, fornecendo assim um ambiente mais salubre para os empregados”.

Sobre o pagamento do adicional de insalubridade, a Embrapa já está trabalhando na alternativa discutida com o Sinpaf. As partes voltarão a discutir o assunto na próxima reunião do ACT, que ocorrerá no dia 17 de junho, às 9 horas.

Espaço para negociação

Para o presidente da Comissão de Negociação e chefe do Departamento de Gestão de Pessoas (DGP), César Prata, “a Embrapa tem confirmado sua disposição de dialogar e buscar um acordo que seja bom para a Empresa e para os empregados. Prova disso é que já temos a sinalização de um índice que é superior às autorizações que recebemos nesta etapa das negociações nos últimos 4 anos, quando conseguimos fechar o ACT”.

“Acreditamos que o espaço para negociação existe e esperamos poder avançar nos próximos dias já que, para os empregados, o importante é o fechamento do acordo em boas condições que resultem em conquistas não apenas do ponto de vista econômico, mas também sociais e de bem-estar”, acrescentou Prata.

Adesão diminui

No 7º dia de paralisação decretada pelo Sinpaf, somente 22% dos empregados aderiram à greve, de acordo com o levantamento do Departamento de Gestão de Pessoas (DGP). Três Unidades retornaram ao trabalho hoje - Embrapa Acre, Embrapa Clima Temperado e Embrapa Rondônia - e em outras duas os empregados decidiram voltar na segunda-feira - Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical e Embrapa Meio Ambiente.

Na Sede o expediente foi normal e em mais 16 Unidades Descentralizadas não houve adesão: Embrapa Agrobiologia, Embrapa Agroenergia, Embrapa Agroindústria Tropical, Embrapa Amazônia Oriental, Embrapa Arroz e Feijão, Embrapa Florestas, Embrapa Informática Agropecuária, Embrapa Instrumentação Agropecuária, Embrapa Milho e Sorgo, Embrapa Pecuária Sul, Embrapa Roraima, Embrapa Soja, Embrapa Suínos e Aves, Embrapa Tabuleiros Costeiros, Embrapa Trigo e Embrapa Uva e Vinho. As informações são da assessoria de comunicação Social da Embrapa.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink