Área plantada de algodão avança timidamente no Brasil

Imagem: Marcel Oliveira

ALGODÃO

Área plantada de algodão avança timidamente no Brasil

Condições climáticas desfavoráveis e atrasos no ciclo da soja inibem semeadura da pluma na safra 2019/20
Por:
806 acessos

Segundo estimativa da INTL FCStone, 1,1 milhão de hectares de algodão devem ser plantados no ciclo 2019/20 no Mato Grosso, aumento de 1,6% em relação à safra anterior. “A safra mato-grossense foi semeada dentro da janela ideal, com expectativa de chuvas durante a fase de desenvolvimento reprodutivo dos algodoais”, explica a analista de Inteligência de mercado do grupo, Gabriela Fontanari.

Apesar do tímido incremento no Mato Grosso, que contribuirá para uma extensão recorde de semeadura (utilizando como base de comparação os dados da Conab para o estado), os destaques da safra brasileira apontam retrações nas áreas do Centro-Oeste e da Bahia.

No Mato Grosso do Sul, as condições climáticas prejudicaram a colheita da soja, dificultando o plantio de todos os algodoeiros dentro da janela ideal do estado, o que resultou em uma redução de 14,8% em 2019/20, contraindo para 31,5 mil hectares.

Já em Goiás, o plantio do algodão 2019/20 foi impactado pela ocorrência de chuvas em janeiro e fevereiro, além do atraso no ciclo da soja. As estimativas da INTL FCStone indicam uma área plantada de 38,5 mil hectares, equivalente a uma retração de 9,2% no comparativo anual. Segundo a analista Gabriela, a contração decorre, principalmente, da menor rentabilidade da pluma perante a soja, resultando na opção pela semeadura da oleaginosa em detrimento do algodão na safra de verão (1ª safra). “Apesar disso, as expectativas dos cotonicultores para com a produtividade da safra se mantêm positivas, com a conclusão da semeadura dentro da janela ideal”, pondera.

Na Bahia, segundo maior estado cotonicultor do país, a defasagem no ciclo da soja corroborou para uma contração das estimativas de área para a safra 2019/20, levando a INTL FCStone a calcular uma redução de 5,1% da extensão semeada com algodão, totalizando 315 mil hectares.

A surpresa fica por conta do Piauí, onde as condições climáticas benéficas ao desenvolvimento das lavouras compensaram o atraso de aproximadamente 20 dias na semeadura. A INTL FCStone espera incremento de 7,5% em relação a 2018/19, considerando a área plantada de 17,3 mil em 2019/20.

Em Minas Gerais, maior estado produtor da região sudeste, é esperado recuo na área plantada para 39,5 mil hectares (-6,0%) em 2019/20, devido ao clima e o atraso na colheita da soja dificultando a liberação da terra para o plantio do algodão.

Em relação à área plantada total brasileira, espera-se 1,619 milhão de hectares em 2019/20, incremento de 0,05% em relação à estimativa da Conab para o ano-safra anterior.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink