Argentina: 5 maiores empresas agroquímicas têm quedas nas vendas em 2015

Agronegócio

Argentina: 5 maiores empresas agroquímicas têm quedas nas vendas em 2015

Queda de receita de US$ 455,1 milhões
Por: -Leonardo Gottems
2678 acessos

 

As cinco maiores empresas do setor agroquímico da Argentina tiveram, juntas, uma queda de receita de US$ 455,1 milhões em 2015, segundo uma pesquisa de autoria do Pampa Group revelada pelo jornal La Nación. No ano passado, o setor (composto por 24 companhias) faturou US$ 2,4 bilhões, representando um decréscimo de 16,7% sobre 2014, quando o faturamento chegou a US$ 2,9 bilhões.

As cinco maiores companhias: Monsanto, Syngenta, Dow AgroSciences, Bayer e Atanor representaram 92,2% da queda total do mercado. O menor plantio de trigo e milho, que em 2015 caíram em quase 1,7 milhão de hectares, prejudicou o mercado de agroquímicos em geral. 

Além disso, houve uma queda de vendas em todos os produtos com glifosato e outros herbicidas, além de inseticidas e todos os tipos de fungicidas – que são a base das cinco maiores empresas. Especialistas dizem que a falta de mais investimentos em agroquímicos, provocada por políticas tributárias recessivas do governo anterior, explicam a queda.

Considerando todos os produtos, o glifosata teve a queda de vendas mais relevante, com 24% menos. Isso também foi explicado por baixos preços do produto. No caso de herbicidas, o mercado caiu 7% com impacto de uma superfície plantada menor. Enquanto isso, os inseticidas tiveram uma queda de venda na casa dos 28%, explicada pela menor quantidade de ataques em 2015.

A Monsanto teve uma receita 15% menor que em 2014, enquanto as outras cinco grandes tiveram uma queda de mais de 17% na média. Das 24 companhias pesquisas, apenas sete cresceram no mercado argentino: Basf (+27%), Agrofina (+1%), Red Surcos (+6%), Summit (+6%), FMC (+15%), YPF (+8%) e Arysta (+14%). 

Para a próxima safra, no entanto, é esperada uma recuperação. A performance pode melhorar e voltar a ser forte ao se confirmarem os aumentos projetados nas áreas de soja, milho, trigo, girassol, cevada, canola e aveia.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink