Argentina: Preços do trigo desinflam 

MERCADO

Argentina: Preços do trigo desinflam 

“Importante para o Brasil, que lhe compra volume maior do que produz internamente"
Por: -Leonardo Gottems
243 acessos

O especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica, afirmou que os preços do trigo argentino desinflaram, já que a pressão compradora baixou devido a um setor exportador abastecido. De acordo com ele, é indicado que o Brasil acompanhe de perto essa situação. 

“Importante para o Brasil, que lhe compra volume maior do que produz internamente, a Argentina deve ser acompanhada de perto daqui para frente. Sem dúvida, todos os indicadores apontam para uma campanha histórica para as exportações argentinas de trigo. Semana após semana, novos recordes quebram-se em compromissos de vendas no exterior, compras de trigo no mercado interno para garantir a matéria-prima, entrada de caminhões para descarregar grãos nos portos da Gran Rosario, etc”, explica, em seu boletim informativo diário. 

No entanto, Pacheco afirma também que, a fim de equilibrar o quadro de oferta e demanda apertado para este ano fiscal, o setor de exportação tem sido rápido para fazer a origem dos produtos. Nesse cenário, foi adquirido 80% dos embarques estimados para todos campanha, quase 10 pontos percentuais a mais do que o volume que foi comprado nesta mesma altura do ano anterior.  

“Com menos pressão para comprar mercadoria no momento o setor deixou de validar novos aumentos de preços, embora a disponibilidade muito limitada de grãos para o restante da campanha parece indicar que, eventualmente, a trajetória dos preços poderá retomar seu caminho para cima e que, a longo prazo, tanto o setor exportador quanto, em especial, o moageiro terá que assumir o estoque remanescente”, indica. 

Nunca nas cinco temporadas anteriores houve tão pouco trigo para comprar na Argentina no início de fevereiro. “Com uma oferta total de 19,6 Mt entre a produção e o estoque remanescente de anos anteriores, as compras de exportadores e moinhos acumulam quase 11,8 Mt, deixando apenas cerca de 7 milhões de toneladas de trigo disponíveis para compra pelos usuários finais de grãos em meses até a nova campanha”, conclui. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink