Argentina alcança última etapa para entrar em mercado de carnes dos EUA

Agronegócio

Argentina alcança última etapa para entrar em mercado de carnes dos EUA

País estava impedido de exportar aos EUA desde um surto de aftosa de 2001
Por: -Leonardo Gottems
710 acessos

Depois de estabelecer acordos diplomáticos com a visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, à Argentina, a entrada de carne do país vizinho ao mercado americano cumpriu praticamente todas as etapas burocráticas de exigências sanitárias, faltando apenas uma última visita de autoridades americanas do USDA a ser realizada em Dezembro.

A Argentina não pode exportar carne aos Estados Unidos desde 2001, quando houve um surto de febre aftosa. O objetivo do governo argentino é aumentar a participações nas importações americanas de alimentos. Atualmente, os argentinos detém apenas 1% dessas importações. Os Estados Unidos são o segundo maior importador mundial de carne.

"Isso é resultado de um reforço das nossas relações estratégicas que são chave para o posicionamento da Argentina no mundo. A Argentina, junto com os Estados Unidos, é um dos poucos países que pode alimentar a população mundial e temos que trabalhar juntos para alcançar esse objetivo," afirmou Ricardo Negri, secretário do ministério da Agricultura argentino, após reunião com o Conselho Americano de Importações de Carne, que compra cerca de 90% das carnes bovinas e ovinas oriundas de fora dos EUA.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink