Armazéns estão abarrotados de milho e governo retém prêmio

Agronegócio

Armazéns estão abarrotados de milho e governo retém prêmio

Audiência pública vai debater o tema que está engessando a economia no campo
Por:
524 acessos

Em reunião de rotina realizada nessa quinta-feira (13), pelo Sindicato dos Produtores Rurais em Lucas do Rio Verde, MT, uma das pautas foi a dos leilões que liberariam os Prêmios de Escoamento de Produto (PEP) e Equalizador Pago ao Produtor (PETRO) que foram liberados pelo Ministério da Agricultura, mas que o Ministério da Fazenda parece estar segurando.

“Não foram divulgadas as datas para que os leilões ocorram. Hoje seria a anunciado e isso não ocorreu. A situação do produtor rural é preocupante. Este recurso já estava alocado para esses prêmios. O motivo de tanta demora não está claro para nós produtores”, diz Júlio Cimpak, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais.

O presidente informou que amanhã representantes dos sindicatos e da Aprosoja se reúnem em uma audiência pública para tratar do assunto. A audiência acontece em Cuiabá.

No estado existem mais de 2 milhões de toneladas de milho armazenados. Alguns deles já não comportam mais a produção. Esses prêmios são incentivos, que pelo calendário do produtor, já deveriam ter sido liberados pelo governo para equilibrar os valores entre custo e venda da safra.

De acordo com a classe produtora esses prêmios não são benesses, mais um direito do produtor que tem custo elevado de produção devido à ausência de logística.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink