Arroz selvagem da Austrália pode combater a fome
CI
DESCOBERTA

Arroz selvagem da Austrália pode combater a fome

Variedade é a mais próxima da primeira espécie de arroz que deu origem a todas as outras
Por: -Leonardo Gottems

Especialistas da Aliança para a Inovação da Agricultura e Alimentação de Queensland (QAAFI) descobriram que uma variedade de arroz selvagem da Austrália pode ajudar na promoção da segurança alimentar do planeta. De acordo com o professor Robert Henry, da QAAFI, esse arroz têm uma alta resistência a seca e a pragas e essas características podem ser transferidas para variedades comuns. 

"O arroz selvagem no norte da Austrália contém uma grande diversidade genética inicialmente inexplorada e pelo menos duas espécies estão intimamente relacionados com arroz caseiro, assim você pode cruzar com esta espécie", comenta. 

O estudo comprovou que a variedade estudada é o parente mais próximo da primeira variedade de arroz que deu origem a todas as outras. Segundo Henry, além de impulsionar a produção global, o arroz selvagem australiano consegue crescer como um produto saboroso e nutritivo por conta própria.  

“Os genes podem tornar a produção comercial de arroz mais adequada às condições no norte da Austrália. Ele pode contribuir para a resistência a doenças como a ferrugem do arroz, manchas marrons e manchas bacterianas em folhas”, explica. 

Um estudo de doutorado da universidade mostrou que o arroz australiano apresentou uma menor dureza e um alto teor de amido em relação ao que consumimos no dia-a-dia. No entanto, o professor alerta para a necessidade de testes práticos antes da disponibilização para o consumo. 

“Quanto maior o teor de amido, mais tempo leva o arroz para digerir. Isso potencialmente oferece mais nutrição para o nosso intestino, da mesma forma que os alimentos ricos em fibras. Através desta pesquisa, desenvolvemos um relógio molecular calibrado baseado no DNA que mapeia quando ocorreram divergências no genoma do arroz. Poucos sistemas biológicos são tão bem descritos como o arroz agora”, finaliza. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink