Ásia ultrapassa UE e torna-se principal importador do agronegócio brasileiro

Agronegócio

Ásia ultrapassa UE e torna-se principal importador do agronegócio brasileiro

A região foi responsável por 41,5% do total exportado em junho, contra 26% do mesmo mês do último ano
Por:
302 acessos

O continente asiático tornou-se o principal destino das exportações do agronegócio brasileiro, no mês de junho, por apresentar crescimento de 78,8% na compra de produtos agropecuários. A região foi responsável por 41,5% do total exportado em junho, contra 26% do mesmo mês do último ano. Essa variação reflete o forte aumento (quase 50%) das exportações de soja no mês passado. Os negócios entre Brasil e os países asiáticos levaram o continente a desbancar, por exemplo, a União Europeia, que diminuiu sua participação de 31,6% em junho de 2008 para 26,4% em junho de 2009.

Oriente Médio (38,7%) e África (10,6%) também tiveram variação positiva na compra de produtos do agronegócio. As demais regiões apresentaram diminuição nas compras do Brasil. A forte divergência das taxas de crescimento das exportações por destinos resultou em participações muito diferentes das registradas em 2008.

Liderança chinesa – Entre todos os países importadores do agronegócio brasileiro, a China mantém a liderança, pela compra de produtos no valor de US$ 1,9 bilhão, e no último mês, registrou o notável crescimento de 102,9%. Esse valor é quase quatro vezes superior às vendas aos Países Baixos (US$ 524 milhões), que ocuparam a segunda posição no ranking; e cinco vezes mais do que as importações dos Estados Unidos (US$ 380 milhões), o terceiro colocado.

Vale ressaltar, ainda, o excepcional aumento de 1.206% de vendas para a Índia (US$ 124,7 milhões), considerado o maior crescimento percentual em relação ao ano passado. A exportação de açúcar para aquele país explica esse incremento, devido à quebra de safra na produção local.

Outros países que se destacaram pelas taxas positivas de importação do Brasil foram Irã (80,4%), Emirados Árabes Unidos (77,5%), Coreia do Sul (66,2%), Egito (53,5%), Arábia Saudita (52,2%) e Bélgica (15,7%).


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink