Ausência de regulamentação limita potencial da ciência
CI
Imagem: Pixabay
ESTUDO

Ausência de regulamentação limita potencial da ciência

Documentário abordou o tema
Por: -Leonardo Gottems

A Gravitas Ventures, uma das maiores distribuidoras de filmes, acaba de lançar o documentário realizado pela Just Add Firewater LLC intitulado 'Eles dizem que não pode ser feito', onde conta a história de cerca de quatro empreendedores que usaram a ciência para encontrar respostas para maiores desafios da humanidade: transplante de órgãos, crise alimentar e mudanças climáticas. 

Ao longo de 81 minutos, o filme mostra como Anthony Atala, conseguiu colocar bexigas artificiais fabricadas em laboratório através do cultivo de células do próprio paciente, evitando as longas filas de espera que os transplantes exigem e eliminando o risco de rejeição do órgão. Em seguida, ele apresenta o caso da Eat JUST, Inc., que está usando tecnologia de cultura de células para produzir carne de verdade, sem prejudicar os animais, ou desperdiçar recursos, sem aumentar as emissões, ou a fronteira agrícola diante de um planeta que terá que alimentar 9 bilhões pessoas em 30 anos. 

Mais tarde, ele mostra como Klaus Lackner, um cientista da Universidade do Estado do Arizona, criou uma árvore sintética que remove o carbono atmosférico a uma taxa mil vezes maior do que uma árvore natural. E, finalmente, apresenta o Catalina Sea Ranch, uma fazenda de aquicultura que usa apenas os recursos do oceano para produzir superalimentos sustentáveis, enquanto fornece um serviço de ecossistema que ajuda a melhorar a saúde do ambiente aquático. 

As quatro inovações têm um denominador comum que é a ausência de regulamentações que impeçam os desenvolvimentos de serem colocados em prática. "A inovação humana pode resolver nossos problemas sociais e ambientais mais urgentes, mas apenas se deixarmos ir", disse Patrick Reasonover, o co-produtor do filme. “Nosso filme faz uma pergunta simples: por que os inovadores com soluções reais e práticas para crises globais não podem trazê-los ao mercado por causa de regras governamentais bem intencionadas, mas desatualizadas?” 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink