Avicultura paranaense abateu mais de 147 milhões de cabeças de frango em novembro

Aves

Avicultura paranaense abateu mais de 147 milhões de cabeças de frango em novembro

Paraná elevou em 5,1% sua produção
Por:
199 acessos

Novembro marcou mais um recorde para a avicultura paranaense. Com 147 milhões de cabeças de frango abatidas, o Paraná conseguiu sua melhor marca no décimo primeiro mês do ano em sua história, elevando em 5,1% sua produção, em comparação ao mesmo período de 2017 (139,8 milhões de cabeças), recorde anterior para o mês, segundo dados do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar). 

As exportações também mantiveram o bom ritmo nesse segundo semestre, alcançando 118,6 mil toneladas, com receita de US$ 187,9 milhões, somente no décimo primeiro mês do ano. Em comparação à 2017, o Paraná conseguiu elevar em aproximadamente 0,5% os embarques dessa proteína animal entre os meses de julho e novembro, alcançando 696,7 mil toneladas contra 693,6 toneladas do ano anterior, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

“O trabalho em conjunto na produção, integrando os pequenos avicultores com as cooperativas, permitiu que superássemos os desafios do primeiro semestre para conseguir finalizar o ano com esse crescimento. Temos a expectativa que para o ano que vem o mercado interno volte a aquecer, graças ao aumento do poder de consumo das famílias”, avalia o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins.

Aumento nas exportações
O saldo positivo nas exportações teve forte participação de dois países em novembro. O Egito ampliou em cerca de 121% suas importações de carne de frango paranaense, em comparação a outubro desse ano, conseguindo alcançar 5,3 mil toneladas recebidas (ante 2,4 mil toneladas do mês anterior). Já a China, terceiro maior importador da proteína animal do Paraná, aumentou em 21,7% suas compras, fechando o décimo primeiro mês do ano com 15,5 mil toneladas (contra 12,7 mil toneladas em outubro de 2018).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink