Bahia tem área livre de Mofo Azul do tabaco

Agronegócio

Bahia tem área livre de Mofo Azul do tabaco

Essa é uma condição imposta para abertura de mercado com a China, que já sinalizou interesse em estabelecer negócios com o produto cultivado no estado
Por:
3090 acessos
O Ministério da Agricultura (Mapa) anuncia, nesta quinta-feira (25-11), durante o Encontro Técnico sobre Produção de Mudas, em Cruz das Almas, o estado da Bahia como primeira unidade da federação a ser caracterizada como Área Livre do Mofo Azul, praga que atinge a cultura do tabaco. Essa é uma condição imposta para abertura de mercado com a China, que já sinalizou interesse em estabelecer negócios com o produto cultivado no estado.

A Secretaria da Agricultura Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), por intermédio da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), desenvolve um intenso trabalho em campo para delimitação de procedimentos com o propósito de caracterizar o estado como área livre da praga em mais de 20 municípios produtores, totalizando 1.736 hectares plantados.

A Bahia apresenta o segundo maior parque fontícula do Brasil e o primeiro do Nordeste, empregando aproximadamente 12 mil trabalhadores. Com a abertura de mercado da China é estimado um incremento de 30% na produção baiana, que alcança atualmente cinco mil toneladas, segundo dados do Sindicato das Indústrias do Tabaco (Sindtabaco).

“O tabaco é a mais importante cultura agrícola não-alimentícia do planeta, e contribui substancialmente para as economias de mais de 150 países”, diz o secretário da Agricultura, Eduardo Salles. O Brasil, além de ser o segundo maior produtor de tabaco do mundo é o líder na exportação mundial do produto há 15 anos. Em média, 85% do fumo produzido no País são destinados à exportação.

“Diante de mercados cada vez mais exigentes quanto a padrões sanitários, a Adab tem uma responsabilidade ainda maior em garantir a qualidade dos produtos baianos, notadamente os oriundos da agricultura familiar”, destaca o diretor geral da Agência, Cássio Peixoto. “E compete à Adab creditar a segurança fitossanitária, por meio da caracterização de área livre do Mofo Azul, colocando o tabaco baiano em condições de competitividade fora do País”.

Análise das amostras

Para a caracterização da área livre, a Adab coletou amostras em 10% das 2.326 propriedades baianas produtoras de tabaco e o material foi enviado a laboratórios no Rio Grande do Sul. Com o resultado favorável, a Agência encaminhou a proposta ao Mapa, que emitiu parecer positivo para caracterização da Bahia como livre da praga. Entre os principais municípios produtores destacam-se Irará, Cabaceira do Paraguaçu, Muritiba, Cruz das Almas, Governador Mangabeira e Castro Alves.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink