Baixos preços e excesso de oferta prejudicam suinocultores
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,046 (0,55%)
| Dólar (compra) R$ 5,60 (-0,69%)


Agronegócio

Baixos preços e excesso de oferta prejudicam suinocultores

Abertura de novos mercados como China e Estados Unidos e imbróglio nas exportações Russas e Argentinas, são alguns dos motivos
Por:
673 acessos
Abertura de novos mercados como China e Estados Unidos e imbróglio nas exportações Russas e Argentinas, são alguns dos motivos
 
Abertura de novos mercados como China e Estados Unidos. Imbróglio nas exportações Russas e Argentinas. Estes são alguns dos motivos elencados pelos suinocultores gaúchos para a queda no preço do suíno vivo no Rio Grande do Sul. Atualmente, segundo dados da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul - Acsurs, o quilo do suíno independente está sendo comercializado a R$ 2,29 (preço médio conforme pesquisa realizada no dia 13 de março). Já para o suíno integrado a situação é ainda pior, pois está sendo vendido a R$ 2,10. Este panorama é muito desanimador, haja vista que há pouco mais de dois meses, em dezembro, o suíno independente foi comercializado por R$ 2,77 e o integrado por R$ 2,30.

Se comparado os atuais valores de venda com o custo de produção, que está em R$ 2,70, verifica-se um prejuízo de 30% por animal abatido, ou seja, o produtor está pagando para produzir e acumulando dívidas, "pois não há mais como economizar ou diminuir os custos de produção dentro da granja", afirma o Presidente da Acsurs e Conselheiro de Relações com o Mercado da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos - ABCS, Valdecir Luis Folador, que tem recebido inúmeros telefonemas de produtores buscando informações sobre essa crise e tentando entender o que está ocorrendo. Segundo os produtores, um dos motivos para a atual situação econômica desfavorável é o fato da notícia de abertura de novos mercados como os Estados Unidos e a China. Isso acabou influenciando muitas empresas a investirem em novos empreendimentos suinícolas e, consequentemente, aumentarem a produção, causando um excesso de oferta de suínos vivos no mercado, provocando a queda no preço pago ao produtor.

"Essa situação não tem lógica. Estamos muito indignados e revoltados com o que estão fazendo conosco. É preciso que ocorra uma melhora no preço o quanto antes, pois a nossa situação está muito difícil", desabafa um suinocultor ligado à Acsurs. Além disso, a questão do embargo Russo à carne suína e a situação difícil da Argentina também tem contribuído para que haja uma grande oferta de suínos no mercado. Isso também provocou a queda nos preços. Outro ponto exposto e reclamado pelos suinocultores é o alto preço do milho comercializado pela Conab (R$ 27,00).

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink