Banda larga via satélite é alternativa eficaz na informatização do campo

Agronegócio

Banda larga via satélite é alternativa eficaz na informatização do campo

Solução da HughesNet entregará internet de alta qualidade em mais de mil municípios do Brasil
Por:
1571 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Solução da HughesNet entregará internet de alta qualidade em mais de mil municípios do Brasil localizados em zonas rurais até o final do ano

O acesso à internet nas zonas rurais do Brasil ainda é um desafio para boa parte da população dessas regiões. De acordo com pesquisa Ipsosencomendada pela HUGHES¹, líder mundial em telecomunicações via satélite, 43% dos entrevistados afirmaram não ter acesso à internet fixa e o principal motivo é que esse tipo de serviço não está disponível no local onde moram. Além disso, 54% dos acessos de internet nos locais onde a HughesNet vai operar são feitos por uma outra tecnologia inferior à que a empresa vai oferecer.

Pensando em encurtar distâncias e oferecer uma solução eficaz para a informatização do campo, a HUGHES lançou no Brasil neste ano a HughesNet, serviço de banda larga via satélite que oferece internet em locais não assistidos ou com soluções que não proporcionem uma experiência completa ao consumidor.

De acordo com Rafael Guimarães, presidente da HUGHES no Brasil, a grande vantagem da HughesNet em relação a outros serviços em zonas rurais e pequenos centros é a ubiquidade. “Com a banda larga da HughesNet, o consumidor recebe internet em qualquer lugar, a qualquer hora. Isso é possível porque o serviço opera na banda Ka, faixa na qual os satélites de alta capacidade trabalham com custo menor e recebem altos padrões de qualidade”, explica.

A banda larga HughesNet cobrirá 4 mil municípios na fase de lançamento. Desses municípios, 1.118 são rurais, ou seja, aqueles os quais 50% ou mais das residências estão localizadas fora da zona urbana. Até 2018, a companhia pretende ampliar o atendimento para 90% e, até 2020, passar a atuar em 100% do território nacional, com apoio do OneWeb, projeto de ampla cobertura com satélites de baixa órbita.

Para Rafael Guimarães, a chegada da HughesNet ainda representa uma grande oportunidade para o agronegócio. “Com a HughesNet, os agricultores que ainda não têm acesso à internet ou têm com limitações, conseguirão ampliar como nunca os seus horizontes. Isso inclui desde otimizar tarefas simples do dia a dia, como a compra de sementes e pesticidas em lojas virtuais, até mesmo à ampliação de seu negócio, como a construção de e-commerce próprio”, sugere.

Saiba mais: 

http://www.hughesnet.com.br/ 

http://www.agrolink.com.br/eventos/videos/expointer-2016---hughes_12478.html

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink