Batata-doce mais nutritiva é nova opção para hortas comunitárias

Agronegócio

Batata-doce mais nutritiva é nova opção para hortas comunitárias

A bata-doce biofortificada tem cor alaranjada por ser rica em betacaroteno, mesmo composto que confere a coloração característica da cenoura e da abóbora
Por: -Janice
278 acessos

Agricultores das hortas comunitárias de Sete Lagoas-MG vão produzir batata-doce mais nutritiva. O produto, desenvolvido pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), foi repassado para plantio na horta do bairro Cidade de Deus, que servirá como unidade demonstrativa da cultura. A produção também será transferida para as demais hortas comunitárias do município, beneficiando cerca de 300 famílias.

A bata-doce biofortificada tem cor alaranjada por ser rica em betacaroteno, mesmo composto que confere a coloração característica da cenoura e da abóbora. O betacaroteno é convertido pelo organismo em vitamina A, que auxilia a visão, o crescimento e a defesa do corpo contra infecções.

Os agricultores das hortas comunitárias conheceram a batata-doce alaranjada ao participarem do dia de campo “Biofortificação: desenvolvimento de produtos agrícolas mais nutritivos”, realizado durante a Semana de Integração Tecnológica, em maio, na Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG). Eles se interessaram pela cultivar, que foi desenvolvida por pesquisadores da Embrapa Hortaliças (Brasília-DF) e pediram auxílio à Emater-MG (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais) para conseguir as ramas e fazer o plantio.

Na última semana (26 de junho), após a multiplicação de ramas ter sido feita na Embrapa Milho e Sorgo, a extensionista da Emater-MG, Érika Carvalho, recebeu o material para repassar aos produtores da horta do bairro Cidade de Deus. Érika destacou que o objetivo principal com o plantio da batata-doce é melhorar a alimentação dos agricultores e suas famílias. “Depois, eles vão realizar pesquisa de mercado para fazer a comercialização, tendo mais uma fonte de renda”, explicou a extensionista. As informações são da assessoria de imprensa da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG).


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink