Malária

Bayer busca soluções inovadoras para erradicar a malária até 2040

Empresa tem pessoas engajadas em toda a África
Por: -Aline Merladete
124 acessos

Durante o Encontro de Chefes de Governo da Commonwealth em Londres, a Bayer uniu-se aos membros da indústria agrícola - BASF, Mitsui Chemicals, Sumitomo Chemical Company e Syngenta - para garantir apoio contínuo à pesquisa, desenvolvimento e fornecimento de soluções inovadoras de controle de vetores para ajudar a erradicar a malária até 2040. A colaboração da indústria é coordenada pelo Consórcio de Controle de Vetores Inovadores (IVCC) e apoiada por seus financiadores, incluindo a Fundação Bill & Melinda Gates.

Desde o ano de 2000, houve um progresso sem precedentes na luta contra a malária, as mortes foram reduzidas em até 60%, resultando em quase 7 milhões de vidas. Quase 80% dos casos de malária evitados neste mesmo período foram devidos a produtos de controle vetorial, como mosquiteiros tratados com inseticida de longa duração e pulverização residual interna, além de intervenções que continuam sendo as mais eficazes e econômicas para prevenir a malária.

A declaração, assinada sob a bandeira "ZERO by 40", chega em um momento oportuno,  o progresso no sentido de acabar com a doença estagnou. O Relatório Mundial da Malária da Organização Mundial da Saúde confirmou o ressurgimento da malária, registrando mais 5 milhões de casos em 2016 em relação ao ano anterior e as soluções de controle de vetores são cada vez mais desafiadas pela crescente resistência ao número limitado de inseticidas disponíveis.

A Bayer deverá disponibilizar nos próximos anos o Fludora® Fusion, o primeiro produto a combinar dois modos de ação para uso em programas residuais de spray residual interno. 

A Bayer está envolvida no desenvolvimento e no fornecimento de ferramentas eficazes de controle de vetores há mais de 60 anos e continua a investir significativamente na pesquisa de soluções inovadoras para abordar a resistência e outros desafios na transmissão de doenças. A empresa tem pessoas engajadas em toda a África, compreendendo a cultura local e os desafios de viver e trabalhar em uma área associada a doenças transmitidas por vetores.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink