BB faz proposta de renegociação para produtores mato-grossenses
CI
Agronegócio

BB faz proposta de renegociação para produtores mato-grossenses

Valor dos débitos junto à instituição financeira é estimado em R$ 600 milhões
Por:

Valor dos débitos junto à instituição financeira é estimado em R$ 600 milhões

Os produtores rurais mato-grossenses inadimplentes junto ao Banco do Brasil terão a oportunidade de renegociar os débitos com mais de 6 meses de atraso e que acumulam no Estado um volume aproximado de R$ 600 milhões. A proposta apresentada pela instituição financeira é que 20% seja pago à vista e o restante dividido ao longo de 5 anos, com a possibilidade de prorrogação por mais 5 anos.

O encontro promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) reuniu produtores de todo o Estado com dívidas superiores a R$ 200 mil e que seriam ajuizadas pelo banco em virtude dos atrasos. O gerente-executivo de Reestruturação de Ativos Operacionais do Banco do Brasil, Rogério Bressan, explica que a ferramenta se trata de uma linha administrativa com fundos do próprio banco.

O presidente da Famato, Rui Prado, diz que o importante é que os produtores procurem suas agências para avaliar as possibilidades de renegociação por se tratar de uma proposta específica do Banco do Brasil e que pode variar de acordo com a capacidade financeira e de endividamento de cada um. "Depois de receber a proposta do banco, cada produtor poderá avaliar sua situação e então decidir se pode ou não assumir o compromisso".

O gerente Rogério Bressan diz que a proposta não é fixa e que não significa a liberação do Cadastro de Pessoa Física (CPF) do contratante para aquisição de novos empréstimos. "A tomada de crédito posterior à negociação vai depender das taxas adotadas no refinanciamento da dívida".

O pecuarista de São José dos Quatro Marcos, Oscar Storti, diz que a proposta apresentada não corresponde à realidade dele. Segundo Storti, o pagamento de 20 % dos R$ 208 mil que deve vai implicar no comprometimento de sua produção. "Não tenho como pagar R$ 40 mil. Se der os 20% exigidos não terei receita suficiente para produzir, são 40 vacas que perderei". Oscar Storti contraiu o empréstimo em 2007 para investir em sua propriedade e diz que até o momento não obteve retorno suficiente para pagar as parcelas. "O que tenho de renda mal dá para liquidar minhas despesas mensais. Eles incentivam a contratação de crédito e depois nos abandonam".

Os produtores mato-grossenses têm até o dia 30 de setembro para recorrer aos seus gerentes e renegociar as dívidas.

MT Legal - Depois de manifestar apoio à prorrogação para adesão voluntária ao Programa de Regularização Ambiental Rural (MT Legal) e em seguida vetar a prorrogação proposta pela Assembleia Legislativa, o governador Silval Barbosa volta novamente a cogitar a possibilidade. Em encontro com os produtores rurais, o governador afirmou que após as eleições poderá discutir tanto com o setor produtivo quanto com os técnicos para então viabilizar o adiamento. "O prazo expira em novembro e até lá teremos tempo para avaliar e tomar a melhor decisão".


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink