BM&F lança na próxima semana novos derivativos de soja

Agronegócio

BM&F lança na próxima semana novos derivativos de soja

Bolsa visa ampliar as negociações no mercado futuro local
Por: -Por Roberto Samora
1106 acessos
SÃO PAULO (Reuters) - A BM&FBovespa lançará na próxima semana um novo contrato futuro de soja, mas este com exclusiva liquidação financeira, e também opções de compra e venda relacionadas ao mesmo derivativo.

O atual contrato de soja, que permite a entrega física no porto de Paranaguá (PR), continuará sendo negociado na bolsa.

Com os novos instrumentos, a bolsa busca ampliar as negociações no mercado futuro local de soja, a exemplo do que já aconteceu com o mudança no contrato de milho, que passou a permitir ao final de 2008 a liquidação financeira.

Segundo o gerente de Serviços em Commodities da BM&FBovespa, Luiz Cláudio Caffagni, o contrato de soja atual tem boa precificação, "mas a entrega física é muito técnica", o que dificulta a participação de mais agentes.

"O (atual) é um contrato razoável, a liquidez não é satisfatória, mas é razoável. Mas a gente acha que o Brasil tem um potencial muito maior, a pujança do complexo soja no Brasil é muito grande, então a gente achou que valeria a gente pensar em alguma coisa", explicou Caffagni em entrevista à Reuters nesta terça-feira.

O Brasil é o segundo produtor e exportador global de soja.

Com o contrato de liquidação financeira, a entrada de mais agentes financeiros na soja deve ajudar a aumentar a liquidez do mercado e permitir que mais "hedgers" façam uso do derivativo, como foi observado no milho.

O milho da BM&FBovespa superou 490 mil negócios em 2010, alta de 73,4 por cento em relação a 2009.
 
"A gente quer que esse contrato (de soja) seja grande, que dê para os exportadores fazerem arbitragem com a bolsa de Chicago, e essas foram as motivações", destacou o gerente da bolsa.

Segundo Caffagni, a BM&F negociou em 2010, entre futuros e opções de soja, 143 mil contratos, uma queda de 18 por cento ante 2009.

"Um volume não desprezível, mas a gente chegou a fazer (o equivalente a) 5 por cento da safra. No caso do café fazemos algo em torno de duas safras... Um contrato para ter uma maturidade interessante, a gente se contentaria em poder negociar (o equivalente a) uma safra brasileira no ano."

As negociações dos novos futuros de soja serão iniciadas em 27 de janeiro. O primeiro vencimento autorizado será o maio de 2011, sendo negociado pelo código SFI.

A oscilação máxima de preço diária será de 5 por cento para mais ou para menos, em relação ao valor de ajuste do dia anterior.

A liquidação do contrato terá como base o indicador de preço criado pela bolsa em conjunto com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP, e será feita no segundo dia útil anterior ao mês de vencimento.

O indicador do Cepea é divulgado todos os dias úteis, após as 18h01, nos sites da BM&FBovespa e do Cepea.

O objeto da negociação será a soja tipo exportação transferida e comercializada no porto de Paranaguá (PR).

O novo contrato será cotado em dólares e equivale a 450 sacas de 60 quilos, ou 27 toneladas.
 
OPÇÕES

Os novos contratos de opções de compra e venda sobre futuro de soja, que estarão autorizados para negociação a partir do dia 28 deste mês, expirarão na mesma data do vencimento do papel com liquidação financeira.

As opções são do tipo americano e podem ser exercidas a qualquer momento.

A unidade, o código, os horários de negociação e os vencimentos dos contratos de opções são os mesmos válidos para o contrato futuro.

As opções hoje negociadas na bolsa continuam seguindo as mesmas regras.

Além do contrato financeiro de soja e do tradicional da oleaginosa, a BM&FBovespa tem derivativos de milho, etanol, boi gordo e café, o mais antigo.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink