BNDES deve vender parcela de fatia na JBS em 2019, dizem fontes

Agropecuária

BNDES deve vender parcela de fatia na JBS em 2019, dizem fontes

BNDES deve vender apenas em 2019 uma parcela de sua participação na processadora de carne JBS
Por:
184 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

O BNDES deve vender apenas em 2019 uma parcela de sua participação na processadora de carne JBS, depois que planos para a operação neste ano foram adiados diante de volatilidades do mercado, informaram duas fontes do banco de fomento.

O BNDES tem 21,3 por cento da JBS por meio de seu braço de participações BNDESPar. A parcela, segundo a cotação de fechamento da ação na véspera, de 11,75 reais, equivale a 6,8 bilhões de reais. Um montante para a parcela remanescente do banco após a venda ainda não foi definido, informaram as fontes, acrescentando que o banco aguarda melhor momento do mercado.

No ano até a segunda-feira, as ações da JBS acumulam valorização de 20,4 por cento, mas o movimento não foi estável. No pior momento do ano, no início de junho, o papel chegou a cair no decorrer dos negócios para 7,91 reais. A máxima foi atingida apenas no início deste mês, a 12,39 reais.

“A venda de (parcela da participação) na JBS não é para este ano; deve ser no ano que vem”, disse à Reuters uma fonte do banco com conhecimento do assunto. “O mercado tem estado muito volátil para uma operação agora”, acrescentou.

Segundo informações do banco, a BNDESPar já levantou cerca de 4 bilhões de reais com venda de participações detidas na empresa. O banco tem participação na JBS desde 2007, quando fez aportes que somaram 5,6 bilhões de reais na companhia e que chegaram a 8,1 bilhões até 2010. Desde março de 2007 até a véspera a ação acumula valorização de cerca de 88 por cento.

“Que a participação está na nossa carteira desinvestimento, isso é real; mas como foi uma operação rentável, temos que esperar o momento certo, não é vender por vender”, disse uma segundo fonte do banco próxima do assunto.

Procurado, o BNDES afirmou que “considerando o investimento (8,1 bilhões de reais), os retornos recebidos (5,1 bilhões) e o valor de mercado da participação remanescente (6,8 bilhões) o resultado econômico é 3,8 bilhões de reais para a BNDESPar, equivalente a um retorno de 47 por cento do total investido”.

“O BNDES não confirma a venda de nenhum ativo específico. A BNDESPar acompanha constantemente as condições de mercado e as oportunidades de desinvestimento dos ativos da carteira de valores mobiliários, buscando maximizar valor no longo prazo”, afirmou o banco.

No final de novembro, o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, declarou publicamente que não vê motivo para o banco manter participações expressivas em empresas como JBS, Vale, Petrobras e Eletrobras, que representam uma parte significativa da carteira da BNDESPar, uma vez que estas corporações podem obter recursos sem a ajuda do banco de fomento.

A fatia na JBS fazia parte de plano do banco de levantar 12 bilhões de reais neste ano com venda de participações. Oliveira comentou na semana passada que o BNDES levantou mais de 8 bilhões com vendas de participações de janeiro a outubro deste ano. “Fazer 12 bilhões de reais este ano não dá; só se incluir o ano que vem”, disse a segunda fonte. “Tem que ver que o mercado já esteve favorável para fazer bons negócios e boas vendas, mas agora não está mais”, acrescentou a fonte.

Às 14h21, as ações da JBS exibiam queda de 2,1 por cento, a 11,49 reais, enquanto o Ibovespa mostrava valorização de 0,89 por cento.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink