Bolívia recebe 105 mil doses de vacina contra aftosa para imunização na fronteira seca

Agronegócio

Bolívia recebe 105 mil doses de vacina contra aftosa para imunização na fronteira seca

Mato Grosso está livre da doença há duas décadas com vacinação e busca o status de livre da aftosa sem vacinação
Por:
911 acessos

Mato Grosso está livre da doença há duas décadas com vacinação e busca o status de livre da aftosa sem vacinação

Cento e cinco mil doses de vacina contra a febre aftosa foram doadas para a Bolívia visando a imunização do rebanho bovino e bubalino na faixa de fronteira seca. As vacinas foram adquiridas e doadas pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal de Mato Grosso (Fesa-MT) e entregues pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea).

A vacinação contra a febre aftosa em Mato Grosso teve início no dia 1º de novembro e segue até o dia 30. Os pecuaristas devem imunizar bovinos e bubalinos de mamando a caducando nesta etapa.

As 105 mil doses de vacina foram entregues para o Comitê Internacional Misto Brasil Bolívia (CIMBB). Deste volume, 80 mil doses seão destinadas para San Matias, que faz divisa com Cáceres e Porto Esperidião. Já as demais 25 mil doses vão para San Ignácio, que faz divisa com Vila Bela da Santíssima Trindade.

De acordo com o Indea, as doses serão distribuídas à pequenos e médios produtores do país vizinho.

O presidente do Indea, Guilherme Nolasco, afirma que a cooperação com a Bolívia na faixa de fronteira seca é essencial para a manutenção do status sanitário adquirido por Mato Grosso.

O CIMBBs, conforme o Indea, é formado pelo próprio Instituto de Defesa de Mato Grosso, Sindicatos Rurais do estado de municípios localizados na fronteira entre os dois países, além do Serviço Nacional de Sanidade Agropecuária e Inocuidade Alimentar da Bolívia (Senasag), Associação de Ganaderos de San Matias, Associação de Ganaderos de San Ignácio de Velasco (Agasiv) e Comitês Cívicos (representação dos indígenas).

A multa para o criador que não vacinar os animais até 30 de novembro é de 2,25 Unidade Padrão Fiscal (UPF) por cabeça de gado não vacinado. Além disso, o produtor que atrasar a comunicação da vacinação ficar ainda impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.

A vacinação é, inclusive, uma garantia para que o Estado siga com as exportações, mesmo não apresentando há quase duas décadas incidência da doença. Mato Grosso hoje exporta carne bovina para mais de 100 países. Em 2016, o estado e o Brasil conquistaram a abertura de mercado para a carne in natura por parte dos Estados Unidos, após quase 20 anos de negociações.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink