Bonsmara é novidade na feira de Londrina

Agronegócio

Bonsmara é novidade na feira de Londrina

Os animais da raça são funcionais, saudáveis e férteis e suportam bem as intempéries do clima tropical. Os animais podem ser abatidos em até 24 meses
Por:
332 acessos
A raça Bonsmara é uma das novidades desta edição da Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina. Segundo o criador Rubens Alves Lima, representante da Associação Brasileira dos Criadores de Gado Bonsmara, os animais da raça são funcionais, saudáveis e férteis e suportam bem as intempéries do clima tropical. Os animais podem ser abatidos em até 24 meses com cobertura de gordura acima de 5 milímetros. A reprodução pode ser iniciada aos 18 meses.


"O Bonsmara é uma alternativa viável ao gado zebu pois contribui para o aumento da eficiência de produção de carne nas regiões do mundo que necessitam de adaptação ao clima quente", explica Lima. Originária da África do Sul, a criação comercial teve início em 1937. Aquele País tem o maior rebanho mundial da raça, com cerca de 7 milhões de cabeças. No Brasil, os primeiros animais chegaram no início dos anos 2000, trazidos por 60 criados.

O criador José Carlos, de São João do Ivaí (75 km ao sul de Apucarana), informa que os custos de criação - como sanidade e nutrição - são semelhantes aos da raça zebuína, devido à precocidade das duas espécies. "Apenas no combate aos parasitas o custo é um pouco maior em relação a outras raças", pondera. Segundo ele, os animais Bonsmara apresentam rápido ganho de peso, bom acabamento de carcaça e carne de ótima qualidade. O produtor trabalha há 50 anos com cria, recria e engorda e já tentou criar várias raças, mas desde 2000 optou pelo Bonsmara.


Atualmente, José Carlos é o único criador no Estado. ""O que mais me atraiu foi o fato de ser uma raça com zero de sangue zebu, o que torna o animal ideal para fazer cruzamento industrial com raças zebuínas, produzindo heterose total e ainda com ótima adaptação ao clima tropical"", justificou. Segundo ele, a raça se destaca pela fertilidade, tanto na inseminação artificial como na transferência de embriões, em que tem ótimos resultados na produção de embriões e nas taxas de prenhez.

Na sua avaliação, o resultado compensa o investimento. ""Quando falamos em monta natural ou cobertura total a campo, um touro atende 30 vacas. Considerando 80% de prenhez, teremos 12 machos e 12 fêmeas na primeira estação de monta. Desmamando estes animais aos sete meses de idade, vendemos os machos para recria e engorda por um preço médio de R$ 600, assim já teremos uma receita entre R$ 7,2 mil, e o investidor ainda terá 12 fêmeas que poderão ser coberta novamente"", calcula. Hoje, os touros Bonsmara estão sendo comercializados, em média, por R$ 4 mil. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink