Agronegócio

Bovinocultura de leite investe em tecnologia e bem-estar animal

As estruturas da maioria das propriedades rurais no território catarinense, a necessidade de atender as exigências de mercado e a redução das famílias no campo foram alguns dos fatores que incentivarama tecnificação de várias atividades
Por:
3716 acessos
As estruturas da maioria das propriedades rurais no território catarinense, a necessidade de atender as exigências de mercado e a redução das famílias no campo foram alguns dos fatores que incentivarama tecnificação de várias atividades. No setor de bovinocultura leiteira um exemplo são os produtos para ordenha.


Os visitantes da Exposição-feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó (EFAPI 2013), que prossegue até domingo (13) no parque de exposições Tancredo de Almeida Neves, em Chapecó, conferem o processo nos pavilhões da bovinocultura. Os oito equipamentos utilizados foram emprestados pela empresa Ordemilk, que é parceira de todas as feiras ranqueadas no Estado. De acordo com o gerente comercial da empresa, Edemar Albani, o objetivo é facilitar o trabalho dos organizadores e dos expositores. “Por ano participamos de seis feiras, emprestando os equipamentos e com demonstração de produtos”, explicou.

Os preços dos equipamentos variam conforme o tamanho e a quantidade do rebanho, com valor inicial de R$ 10 mil e podendo chegar a R$ 5 milhões.Albani relatou que a situação organizacional de pequenas e médias propriedades e a necessidade de contratar mão de obra, (as famílias rurais ficaram menores) incentivou a tecnificação. “Em algumas regiões do Brasil são utilizados robôs para ordenha média de 60 vacas dia. Porém, o custo de implantação é de R$ 600 mil e com manutenção de R$ 15 mil por ano” exemplificou.


 A empresa Ordemilk conta com dez sistemas de ordenha de tecnologia norte-americana. Os produtos mais vendidos são o sistema de medição do leite eletrônico, extração automática dos conjuntos e software para gerenciamento das propriedades, que identifica cio de vaca automaticamente, qual o melhor momento para fazer inseminação e auxilia na identificação da mastite e outras enfermidades. “A procura por tecnologia que ajuda na administração da propriedade é cada vez maior. Nos últimos três anos teve um crescimento muito grande, principalmente depois da crise europeia, que facilitou o acesso à tecnologia e barateou o custo dos produtos”, comentou.

Bem-estar animal

Com a necessidade de crescimento de algumas propriedades a empresa incrementou alguns produtos para o conforto animal: freesthal com baia separadora, colchão de látex super confortável, limpador automático de corredores, sistema de resfriamento animal (ventilação e água) e escova de massagem.


Nas salas de ordenha foram confeccionados sistemas de contenção de modelos espinha de peixe, saída rápida, portão de aproximação para sala de espera e a linha de resfriadores com lavagem automática, lançada neste ano. “Por ter propriedade pequena e a necessidade de aumentar a produtividade do leite optou-se em fechar os animais. Porém, para tirar do pasto e confinar é fundamental oferecer um local confortável para que o animal não baixe a produção e, sim, aumente”, realçou.

Estudos revelaram que no pasto as vacas produzem de 20 a 23 litros em média ano/temporada e confinadas de 28 a 35 em média. “Os benefícios para os empresários rurais são de colocar mais animais por hectare, se tornarem mais produtivos e aproveitarem a área antes usada para a bovinocultura para outros cultivares”, justificou.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink