Café e Mamão

Brandt do Brasil auxilia produtores do Espírito Santo a elevar produtividade com consorciação de café e mamão

A consorciação da bebida com a fruta tem proporcionado ganhos importantes de produtividade para os agricultores do estado
Por:
17 acessos

O que há em comum entre o café conillon e o mamão no Espírito Santo? “A consorciação da bebida com a fruta tem proporcionado ganhos importantes de produtividade para os agricultores do estado”, informa Antonio Coutinho, diretor de marketing da Brandt do Brasil, uma das maiores fornecedoras de fertilizantes do mundo, já presente no mercado capixaba há mais de um ano, levando apoio técnico e comercial para os produtores rurais.

“Produtivo em temperaturas mais elevadas, o café conilon ganhou espaço no estado, segundo maior produtor de café do Brasil, com cerca de 25% da colheita nacional. O ES também é o 2º maior exportador de mamão, fruta que ocupa 6 mil hectares cultivados, a maior parte da área destinada ao mercado externo. A fruta é cada vez mais utilizada em consorciação com o café no período de implantação da cultura”, explica Coutinho.

O especialista da Brandt destaca que a cafeicultura e a fruticultura capixaba têm enfrentado dificuldades nos últimos anos em decorrência de um longo período de estiagem e déficit hídrico. “Os problemas decorrentes da baixa precipitação atingiram, inclusive, as propriedades irrigadas, pois a baixa vazão dos rios impede ou limita o uso da água na irrigação. As principais atividades agrícolas da região, como a cafeicultura e a fruticultura, foram enormemente prejudicadas com amplo reflexo na comercialização de insumos agrícolas. Por esse motivo, o cuidado com a nutrição vegetal ganha muita relevância. Em alguns casos, está ligada à própria sobrevivência do projeto”, comenta Antonio Coutinho.

Pressionados pelas adversidades climáticas, muitos cafeicultores capixabas começaram a cultivar mamão em suas propriedades. O consórcio surte bons resultados porque o mamão cresce antes do café e, assim, sombreia o pé de café nas etapas inicias do ciclo. “Essa associação tem crescido muito no Espírito Santo, porque proporciona benefício duplo ao produtor: o mamão tem ciclo mais rápido e faz sombra para o café; além disso, também ajuda a viabilizar economicamente a propriedade”, explica Antonio Coutinho.

A Brandt do Brasil tem ampla linha de insumos para a cafeicultura, como SMART TRIO®, que aumenta a saúde vegetal, corrige deficiências de nutrientes e torna mais eficientes as aplicações foliares, ajudando a mitigar o estresse das plantas cultivadas causado por herbicidas pós-emergentes; MANNI-PLEX B MOLY® contém dois micronutrientes-chave: Boro (B) e Molibdênio (Mo), que ajudam as plantas a converter o nitrogênio em amônia e, assim, melhorar o metabolismo do mesmo, auxiliando a produção do tubo polínico, que proporciona melhor florescimento, frutificação e aumento de produtividade.

“Vamos aumentar ainda mais nosso portfólio, com opções variadas para servir o mercado de cafeicultura e a fruticultura, focando na inovação a fim de ofertar soluções mais eficientes aos produtores rurais”, conclui Antonio Coutinho.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink