Brasil “escondeu” problemas logísticos
CI
Agronegócio

Brasil “escondeu” problemas logísticos

Afirmar José Carlos Hausknecht, sócio-diretor da MB Agro
Por: -Leonardo Gottems

Dois dos mais notáveis economistas brasileiros, José Roberto Mendonça de Barros e Luiz Carlos Mendonça de Barros criaram em 1978 a consultoria MB Associados para aconselhar pessoas interessadas na economia brasileira. Como a importância da agricultura brasileira cresceu rapidamente nos anos 90 e 2000, os dois sócios decidiram em 2005 criar um braço agrícola para a companhia – a “MB Agro”, que é baseada em São Paulo.


Em entrevista ao jornalista Luis Vieira, do Agriculture.com, José Carlos Hausknecht, sócio-diretor da MB Agro, disse que o dólar deve provavelmente subir nos próximos meses e isso deve ser bom para os produtores brasileiros, mas não pode prever um número específico para o valor da moeda norte-americana. Atualmente, a moeda vale R$ 2,25. No ano, já chegou a valer R$ 2,50.

Prevendo também um futuro brilhante para o valor dos grãos, Hausknecht afirmou que o Brasil deve recuperar sua produção de milho em 2015. Sobre as turbulências da logística brasileira, o economista salientou que os mesmos problemas do ano passado continuam. No entanto, as autoridades portuárias conseguiram "esconder" a situação das manchetes de jornais e da televisão.


Agriculture.com - Houve uma recente desvalorização do dólar em relação ao Real recentemente. Você ainda acredita que o valor do dólar deve subir e assim beneficiar os produtores brasileiros?

Hausknecht - No ano, o dólar se valorizou, mas existiu uma desvalorização recente que prejudicou os produtores brasileiros. Não dá para dizer muita coisa sobre isso. Não posso prever um número específico agora. Seria melhor para os produtores se o dólar subir e eu ainda acho que é essa a tendência. Mas existem complicadores como a eleição deste ano e a Copa do Mundo dificultando essa previsão. Há também fatores internacionais como o conflito ucraniano. 

Agriculture.com - Baseado nisso, a sua previsão é de que os produtores continuarão capitalizados e investirão mais e mais para maximizar a eficiência?

Hausknecht - Eu acredito que sim. Os preços futuros são outro fator. Se você dar uma olhada em preços futuros, você perceberá que não haverá nenhuma retração em investimentos futuros.

Agriculture.com - Como você vê a situação da logística de grãos? Houve perdas no ano passado por conta disso. Há alguma mudança em 2014?

Hausknecht - A situação é bastante similar. Os custos de frete estão bastante similares ano passado e em alguns casos mais alto. A diferença é que as filas de caminhão não podem ser mais vistas nas notícias. As filas não são mais visuais visto que os portos adotaram a política de fila eletrônica. Mas os custos permanecem altos.


Agriculture.com - Recentemente, foram divulgadas pesquisas revelando um grande potencial para a produção de trigo a longo prazo no Centro-oeste. Você acredita que esse potencial será confirmado e o trigo poderá ser uma lavoura que competirá com o milho na safrinha?

Hausknecht - Eu realmente não acredito nisso. As lavouras de trigo não serão competitivas no centro-oeste. O milho deve continuar a ser rentável na safrinha. A única coisa que pode competir com o milho na segunda safra é a soja, como está acontecendo esse ano, mas ainda assim de forma muito restrita. Na próxima temporada, devemos ver aumentos na produção de milho de novo.


Agriculture.com - Qual a sua perspectiva com relação a preços domésticos de soja e milho?

Hausknecht - Não haverão queda até julho. Os preços de soja devem cair no segundo semestre quando a colheita americana começar.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink