Brasil conclui regulamento de produtos orgânicos

Agronegócio

Brasil conclui regulamento de produtos orgânicos

Para o ministro, que se declarou consumidor de produtos organicos, o potencial do mercado no país é duas vezes superior ao atual
Por:
202 acessos

A última das sete normativas que regem o mercado de orgânicos no Brasil foi assinada, ontem, pelo presidente Lula na Bio Brazil Fair, em São Paulo. O decreto simplifica o registro de insumos para o setor e se soma a outros, publicados desde o final de 2008. Produtores, empresas e certificadoras terão até dezembro para se adequar.

Para o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, que se declarou consumidor de produtos agroecológicos, o potencial do mercado no país é duas vezes superior ao atual.

O coordenador executivo do projeto Organics Brasil, Ming Chao Liu, explicou que toda a cadeia produtiva está normatizada. "Antes, qualquer um podia abrir uma empresa e colocar que o produto era orgânico. Ninguém fiscalizava. Agora, o orgânico terá o selo do ministério." E, para ter o selo, o produto passará pela certificadora, que terá de estar registrada junto ao Inmetro.

Com a implementação do Selo do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica, que será lançado no primeiro semestre de 2010, a tendência é que mais e maiores empresas entrem no ramo de orgânicos, afirmou Liu. "Começa a ser um mercado mais sério e devem aumentar investimentos."

O presidente da Fetag, Elton Weber, disse que a oferta de orgânicos tem crescido no Rio Grande do Sul, mas não há levantamento do número de agricultores ou do volume produzido. Conforme o Ministério da Agricultura, a área no Brasil está estimada em 800 mil hectares.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink