Brasil e Argentina estreitam cooperação na área agrícola

Agronegócio

Brasil e Argentina estreitam cooperação na área agrícola

A Embrapa e o INTA selaram um memorado de entendimento em novembro de 2015
Por:
422 acessos

A Embrapa e o INTA selaram um memorado de entendimento em novembro de 2015

O presidente do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuaria (INTA/Argentina), Amadeo Nicora, visitou no dia 12 de dezembro de 2016, duas unidades de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em Brasília, DF: Agroenergia e Recursos Genéticos e Biotecnologia. A Embrapa e o INTA selaram um memorado de entendimento em novembro de 2015 e a visita de Nicora, que veio acompanhado da diretora-adjunta de Relações Internacionais do Instituto, Ana Cipolla, e do adido agrícola da Embaixada da Argentina no Brasil, Javier Dufourquet, foi conhecer algumas das pesquisas desenvolvidas pela Embrapa para prospectar temas de interesse comum entre os dois países. No dia 13 de dezembro, ele se reúne com o presidente da Embrapa, Maurício Lopes, e os diretores executivos Ladislau Martin Neto, Vânia Beatriz Rodrigues Castiglioni e Waldyr Stumpf Junior para discutir a operacionalização dos projetos de cooperação técnica.

Na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, os representantes do INTA foram recebidos pela chefe de Pesquisa e Desenvolvimento, Marília Burle, e visitaram o Laboratório de Reprodução Animal, onde foram recebidos pelo pesquisador Maurício Machaim, e o Banco Genético da Embrapa, no qual assistiram à apresentação do pesquisador Alexandre Floriani.

No Laboratório de Reprodução Animal, Nicora conheceu as biotécnicas de reprodução assistida desenvolvidas na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, como PIV (produção de embriões in vitro), sexagem de embriões, fertilização in vitro e in vivo e clonagem por transferência nuclear. O Brasil é hoje líder absoluto na PIV em termos mundiais, com cera de 80% do mercado global. As pesquisas da Embrapa estão, principalmente, voltadas para bovinos, mas incluem também ovinos e suínos, em parceria com a Embrapa Suínos e Aves, em Concórdia, SC.

Cooperação vai contribuir para a agricultura do cone sul

De acordo com Nicora, o Brasil possui uma visão estratégica em relação à ciência e tecnologia e, por isso, considera a cooperação tão importante para a Argentina. "É fundamental que o INTA e a Embrapa, como instituições públicas de pesquisa agropecuária, atuem em sinergia para levar tecnologia com rapidez e eficiência ao setor produtivo", ressaltou.

Para o diretor executivo de Transferência de Tecnologia da Embrapa, Waldyr Stumpf Junior, "a visita dos dirigentes do INTA à Embrapa marca mais um avanço na aproximação institucional que já vem ocorrendo há algum tempo. Neste momento, a expectativa é de dar encaminhamentos para a construção de planos de trabalho que proporcionarão ganhos na cooperação científica e tecnológica entre o Brasil e a Argentina", esclarece. Trata-se de um avanço estratégico, já que os dois países têm importantes contribuições a dar para a agricultura no cone sul, como membros que são do PROCISUR (Programa Cooperativo para o Desenvolvimento Agroalimentar e Agroindustrial do Cone Sul), conclui.

Os planos de trabalho a serem estruturados a partir da visita viabilizarão a operacionalização do memorando de entendimento assinado entre a Embrapa e o INTA no ano passado, que aponta como prováveis áreas de interesse entre as partes, sem se limitar a elas, a biotecnologia, engenharia genética e transgênicos, recursos genéticos vegetais e animais, melhoramento genético animal e vegetal, agricultura familiar, sistemas de produção, inteligência estratégica e prospectiva, bioeconomia, pesquisa e transferência de tecnologia para o desenvolvimento, maquinário para agricultura familiar, gestão institucional e comunicação para o desenvolvimento.

Técnica pioneira de reprodução animal despertou o interesse do presidente do INTA

O presidente do INTA demonstrou grande interesse pela técnica recentemente lançada pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, que é pioneira no País: a TIFOI (transferência intrafolicular de ovócitos imaturos). Trata-se de uma biotécnica que apresenta todas as vantagens da fecundação in vitro (FIV) com um benefício adicional: o fato de não precisar de laboratório para ser realizada. Os criadores podem obter os embriões com a mesma rapidez e agilidade da FIV, ou seja, em torno de um bezerro por semana a partir de uma única vaca doadora, sem precisar sair da sua fazenda.

O desenvolvimento da TIFOI na Embrapa resultou no nascimento de três bezerras, que estão na Fazenda Sucupira, campo experimental da Empresa também localizado em Brasília (DF), e cerca de 50 embriões congelados. O sucesso gerou o registro da marca junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

No Banco Genético da Embrapa, Nicora conheceu as pesquisas de conservação de recursos genéticos animais, que têm como foco a preservação de raças de animais domésticos denominadas "locais" ou "naturalizadas", pois se encontram há séculos no Brasil, muitas desde a época da colonização. Esses animais, que incluem bovinos, suínos, caprinos, ovinos, asininos, bubalinos e equinos, são conservados in situ (em seus habitats) em núcleos de conservação da Embrapa distribuídos por quase todo o Território Nacional e ex situ (fora do local de origem) no Banco Genético da Embrapa.

O pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia mostrou os criobancos, nos quais são conservados sêmens e embriões e o freezer para preservação de DNA. Hoje, o Banco Genético, inaugurado em 2014, possui dois criobancos, mas a capacidade do novo prédio é para oito, com capacidade para manter mais de 700 mil amostras de animais por aproximadamente 30 anos. Em relação ao DNA, hoje o espaço conta com um freezer, mas há espaço para quatro.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink