Brasil espera reabertura de mais 2 unidades de carne pela Rússia
CI
Agronegócio

Brasil espera reabertura de mais 2 unidades de carne pela Rússia

No final de março, Mendes Ribeiro retorna à Europa para uma reunião
Por:
SÃO PAULO (Reuters) - O governo brasileiro espera a reabilitação pela Rússia de mais duas processadoras de carnes, uma de bovinos e outra de suínos, após três plantas de exportadores terem sido reabertas para aquele mercado no final do ano passado, disse o ministro da Agricultura nesta quinta-feira (09).

"Temos uma expectativa muito boa, voltamos do encontro com a ministra russa (na Alemanha) muito otimistas... temos a possibilidade de abrir mais duas plantas", disse o ministro Mendes Ribeiro Filho a jornalistas.

A declaração foi feita após reunião com os dirigentes das associações de exportadores de carnes, em São Paulo, na qual o ministro disse ter ouvido as preocupações do setor quanto ao mercado.

A Rússia tradicionalmente é o maior mercado para as carnes brasileiras, mas desde 15 de junho o país embarga parcialmente as vendas de indústrias brasileiras, com restrições para unidades de Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul. A decisão impactou mais as vendas de carne suína.

Ele disse que, pela primeira vez, a Rússia encaminhou o relatório da visita técnica ao Ministério da Agricultura brasileiro antes da divulgação do documento.

"Isso em termos de contato bilateral foi um grande avanço", avaliou Mendes Ribeiro. Segundo ele, o Brasil se dispôs a enviar um plano de equivalência em relação às medidas sanitárias aplicadas no Brasil.

Comunicado do governo russo, do final do ano passado, acabou com a restrição a três unidades processadoras: duas unidades da Brasil Foods, em Rio Verde (GO) e Uberlândia (MG); e uma do Grupo Marfrig, em Amparo (SP).

Contudo, Pedro de Camargo Neto, presidente da Abipecs (Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína) observou que as aberturas até agora pouco beneficiam o setor mais prejudicado pelo embargo russo: o de carne suína.

"Estas unidades liberadas estão em Goiás e Minas Gerais, mas nosso maior problema, o foco da crise está no Rio Grande do Sul", Camargo Neto, grande Estado exportador para o mercado russo.

MERCADO EUROPEU

Em relação ao mercado europeu, o ministro da Agricultura disse ter voltado muito otimista de encontro na Europa. "Eles (os europeus) consideram o nosso gado caro, mas é de qualidade e é o que eles querem... (o gado) criado a pasto", disse Mendes Ribeiro.

Desde o início deste ano, os europeus flexibilizaram a instrução normativa 61, passando para o Brasil a responsabilidade de gerenciar as fazendas habilitadas para exportar a UE.

Em 3 de fevereiro, o Ministério da Agricultura publicou a lista com 1.948 fazendas habilitadas a fornecer gado para processadoras que venderão a carne para a UE.

As unidades aprovadas estão nos Estados de Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e São Paulo.

No final de março, Mendes Ribeiro retorna à Europa para uma reunião com 68 ministros da Agricultura que depois virão ao encontro Rio+20, no final de junho na capital fluminense. Na ocasião, ele espera retomar as negociações.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.