Brasil exporta milho para África do Sul, afetada por El Niño
CI
Agronegócio

Brasil exporta milho para África do Sul, afetada por El Niño

Brasil exportou 321.662 toneladas de milho para a África do Sul em 2015
Por:

O Brasil está exportando milho para a África do Sul, um tradicional exportador do cereal que sofre com uma seca relacionada ao fenômeno El Niño, em um momento em que o país sul-americano busca novos mercados para sua crescente produção.

O Brasil exportou 321.662 toneladas de milho para a África do Sul em 2015, ante nenhum volume no ano anterior, mostraram dados do Ministério de Indústria e Comércio (MIDC).

De três a cinco novos carregamentos estão a caminho ou deverão deixar o país nos próximos dias, de acordo com dados de escalas de navios nos portos brasileiros e com uma fonte do mercado sul-africano.

As exportações são indicações da crescente influência do Brasil como produtor de milho no mercado global.

Os números também apontam para os impactos do fenômeno climático El Niño no comércio internacional.

A África do Sul pode precisar importar 5 milhões de toneladas de milho este ano, aproximadamente metade de suas necessidades, por causa da pior seca no país em três décadas, disse a maior associação de produtores do país na quarta-feira.

A Índia, outro tradicional exportador de milho que também sofre com uma seca, lançou uma licitação para importar 320 mil toneladas de milho não transgênico, disseram operadores europeus na terça-feira.

Dados da alfândega brasileira mostram que 4.020 toneladas de milho foram exportadas para a Índia entre janeiro e novembro de 2015, ante 126 toneladas no mesmo período em 2014, embora as exportações para o país asiático não tenham sido incluídas no relatório anual.

Não há nenhuma previsão de embarque de milho para a Índia nas escalas de navios nos portos brasileiros.

As exportações de milho pelo Brasil em 2015 somaram 30,75 milhões de toneladas, ante 20,96 milhões em 2014, graças principalmente à desvalorização do real, que torna o produto nacional bastante competitivo no exterior, disse a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec).

O Brasil deverá exportar 5,5 milhões de toneladas de milho já negociado para entrega em janeiro e depois verá uma queda nas exportações em fevereiro, com novas exportações devendo ser registradas a partir de junho ou julho, disse o analista de milho da Safras & Mercado, Paulo Molinari.

Por outro lado, a grande oferta de milho e a alta demanda pelo grão poderão atrasar o início da temporada de exportação de soja, disse o diretor-geral da Anec, Sérgio Mendes, que também estimou que os embarques de milho do Brasil poderão avançar até março.

(Reportagem adicional de Gustavo Bonato, em São Paulo, e Ed Stoddard,em Johanesburgo)


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.