Brasil importou menos alho no trimestre
CI
Imagem: Pixabay
QUEDA

Brasil importou menos alho no trimestre

As expectativas para o setor ainda são incertas com a pandemia
Por: -Eliza Maliszewski

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou nesta semana a conjuntura mensal do alho. No primeiro trimestre de 2021, o produto apresentou redução de 22,7% na quantidade importada, em comparação com o mesmo período do ano anterior, situando-se em 40,1 mil toneladas contra 51,9 mil toneladas. Só em março, a queda no volume comprado fora do país ficou em torno de 15,9%, totalizando 13,8 mil toneladas. Os principais exportadores de alho fresco ou refrigerado ao Brasil foram Argentina, China e Egito.

Segundo o levantamento as expectativas para o setor ainda são incertas. "As ações de enfrentamento à pandemia do coronavírus, com as medidas de restrição de movimento, tendem à redução no consumo", diz o relatório. No entanto, o estudo aponta que o programa de Auxílio Emergencial deve amenizar esse impacto no mercado interno.

As regiões Sudeste e Centro-Oeste, responsáveis por 71,8% da produção de alho em 2019, encontram-se na entressafra, o que pode manter os preços do produto em patamares elevados para o agricultor em abril, devido à menor quantidade de alho ofertada.

Preços

Conforme a pesquisa de preços realizada pela Conab, o preço médio pago ao produtor de alho nobre roxo extra, classe 5, em Minas Gerais, em março, situou-se em R$ 154,00/caixa com 10 kg, apresentando aumento de 12,5% na comparação com o mês anterior.

Em Goiás, o preço pago ao produtor em março situou-se em R$ 115,00/caixa com 10 kg, apresentando reduções de 6,1% na comparação com o mês anterior e de 13,2% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Em Santa Catarina, o preço pago ao produtor em março situou-se em R$ 96,65/caixa com 10 kg, apresentando aumento de 9,6% na comparação com o mês anterior e redução de 30,0% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. No Rio Grande do Sul, o preço pago ao produtor em março situou-se em R$ 100,00/caixa com 10 kg, apresentando aumento de 0,9% na comparação com o mês anterior e redução de 14,9% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

De acordo com a pesquisa de preços realizada pelo Instituto de Economia Agrícola de São Paulo (IEA), o preço do alho chinês, no mercado atacadista da região metropolitana de São Paulo, em março, situou-se em R$ 160,95/ cx. com 10 kg, apresentando aumento de 10,0% na comparação com o mês anterior.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink