Brasil tem primeiro banco ativo de germoplasma de peixes
CI
Imagem: Luciana Ganeco
GENÉTICA

Brasil tem primeiro banco ativo de germoplasma de peixes

Unidade fica em Tocantins e é formada por centenas de peixes vivos
Por: -Eliza Maliszewski

O Brasil inaugurou o primeiro Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de peixes nativos, localizado em Palmas (TO). Com foco em ser um suporte para a aquicultura o local tem 32 tanques e instalações de conservação de germoplasma. A coleção envolve peixes vivos, banco genético e é considerada fundamental para a preservação de espécies e desenvolvimento da atividade. Além disso dará suporte para pesquisas na atividade.

Inicialmente o BAG inicia as atividades conservando três espécies estratégicas para o setor aquícola: o tambaqui, o pirarucu e a caranha. As novas instalações ocupam uma área aproximada de três hectares na Embrapa Pesca e Aqüicultura e custou cerca de R$ 3 milhões.

Os pesquisadores planejam utilizar o material em programas de melhoramento genético e desenvolver diferentes trabalhos na área de genética e reprodução, como o estabelecimento e melhorias nos protocolos de criopreservação, com os quais serão testadas, por exemplo, diferentes substâncias para melhor conservação do sêmen. O local vai funcionar como uma espécie de backup de genética. “O banco de germoplasma ainda poderá servir para o estabelecimento de parcerias com produtores, a fim de que eles possam melhorar a diversidade genética de seus plantéis”, planeja o chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pesca e Aquicultura, Eric Arthur Bastos Routledge.

A manutenção de um banco de germoplasma é considerada estratégica para qualquer país, assegurando a preservação das espécies. O banco também deve impulsionar o desenvolvimento de peixes nativos do Brasil. O país ainda não comercializa material genético de peixes nativos - a produção de peixes baseia-se basicamente na coleta de alevinos produzidos naturalmente.

“O piscicultor encomenda alevinos de tambaqui puro, por exemplo, mas não dá para saber se é mesmo puro ou misturado com pirapitinga. Só com o tempo, ele conseguirá distinguir pela aparência do peixe. O mercado ainda está se profissionalizando nessa área, porque ninguém faz essa qualificação de germoplasma”, comenta Routledge.

Um dos resultados da qualificação do material genético é a garantida de identificação da espécie. É como se fosse um atestado de origem com base na análise genética.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink