Brasil tentará abrir mercado para carne in natura com o Japão, afirma Eumar Novacki

Agronegócio

Brasil tentará abrir mercado para carne in natura com o Japão, afirma Eumar Novacki

A missão comandada por Novacki deve partir para o exterior na primeira semana de outubro
Por:
459 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

A missão comandada por Novacki deve partir para o exterior na primeira semana de outubro

Após conquistar o mercado dos Estados Unidos para a carne bovina in natura, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) foco o Japão. O Brasil partirá nos próximos dias para mais uma Missão Empresarial e Ministerial. Os alvos desta nova visita ao exterior, que será comandada pelo secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, são o Japão, a Itália, a Rússia e a Armênia.

A nova rota na busca de novos mercados para a produção brasileira de grãos, proteínas, madeira, entre outros, foi anunciada por Novacki durante coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira, 27 de setembro, realizada pelo ministro Blairo Maggi para um balanço dos resultados obtidos durante a Missão Ministerial e Empresarial pela Ásia.

As negociações com o Japão, de acordo com Eumar Novacki, têm como foco avançar nas negociações para a abertura de mercado para a carne bovina processada (embalada) que já estão em andamento. “Além disso, queremos tentar abrir as portas do Japão para a carne bovina in natura. A nossa expectativa nesse caso que é os embarques comecem dentro de um ano e meio”. Outro ponto a ser discutido no país asiático é quanto ao envio de carne Wagyu, uma raça bovina japonesa, considerada uma das carnes mais caras do mundo, cujo quilo no Brasil do corte "Kobe Beef Wagyu" (chorizo) pode chegar à casa dos R$ 300.

Conforme Novacki, na Itália a comitiva irá participar de um encontro na FAO, enquanto na Rússia serão tratadas questões de reinspeção, credenciamento de plantas frigoríficas e a importação de trigo para o Brasil.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink