Brasil vai investir em tecnologia espacial no agro
CI
Imagem: Pixabay
ACORDO

Brasil vai investir em tecnologia espacial no agro

As tecnologias espaciais são fundamentais para a agricultura, pecuária e aquicultura de precisão
Por: -Eliza Maliszewski

O Brasil vai trabalhar para estimular o alcance e desenvolvimento de tecnologias, produtos e serviços espaciais no agronegócio de forma a incentivar ainda mais a qualidade e produtividade no setor. Um acordo neste sentido foi assinado nesta quarta-feira (7) entre o Ministério da Agricultura e a Agência Espacial Brasileira (AEB), autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações.

O acordo visa atingir a iniciativa privada, a academia, os institutos de ciência e tecnologia e os demais atores relevantes do Sistema Nacional de Desenvolvimento de Atividades Espaciais (Sindae) e quer promover a expansão do uso de produtos e serviços espaciais no setor agropecuário brasileiro, fomentar a aquisição de produtos e de serviços espaciais no ambiente rural, estabelecer ações para que o Brasil se torne um exportador de soluções tecnológicas e espaciais com aplicação no setor e formar e capacitar recursos humanos qualificados.

A expectativa é de ganhos para os dois setores e de aumento da produção sustentável, produzir mais com menos e usar menos defensivos. “Faremos tudo o que pudermos como uma infraestrutura que ajude o Mapa e todas as entidades relevantes nesse processo a trabalharem melhor”, declarou o presidente da AEB, Carlos Moura.

As tecnologias espaciais são consideradas fundamentais para a agricultura de precisão, pecuária de precisão e aquicultura de precisão. Possibilita sistemas de coleta de dados e conexão com a internet das coisas e foco na conectividade rural. “Fazer o entendimento aéreo espacial no Brasil, conhecer nosso território, solo e clima vai fazer com que aumente ainda mais a produtividade sem agredir o meio ambiente. O Brasil é uma potência agroambiental”, comentou o secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Fernando Camargo.

 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink