Brasileiros e norte-americanos trocam experiências em diagnósticos de doenças aviárias

Agronegócio

Brasileiros e norte-americanos trocam experiências em diagnósticos de doenças aviárias

Por:
170 acessos

Brasília (17.6.2009) - O intercâmbio entre Brasil e Estados Unidos na área laboratorial ganha reforço, nesta semana, em Campinas/SP, com um workshop sobre as atividades do programa de Twinning, estabelecido entre os laboratório nacionais Agropecuário (Lanagro) de São Paulo e de Serviços Veterinários (NVSL, sigla em inglês), do Departamento de Agricultura Norte-Americano (USDA).

Até esta quinta-feira (18) o workshop reúne técnicos de todos os laboratórios da rede Lanagro responsáveis por diagnósticos de doenças aviárias, representantes do Departamento de Saúde Animal (DSA/SDA), órgãos estaduais de defesa agropecuária e de laboratórios credenciados, além de membros de entidade ligada ao setor.

A cooperação faz parte do processo de acreditação do Lanagro/SP junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) quer o reconhecimento do laboratório como referência internacional para diagnósticos de influenza aviária e doença de Newcastle.

Durante a reunião inicial com os técnicos norte-americanos, nessa segunda-feira (15), em Brasília/DF, o secretário de Defesa Agropecuária, Inácio Kroetz, afirmou que o aval da OIE é fundamental para o Brasil, principal exportador de carne de aves. “Há muito tempo, desejamos esse reconhecimento da organização para o nosso sistema laboratorial, já que o País é um dos maiores exportadores mundiais de alimentos. Isso é importante não só para certificar nossos produtos no mercado externo, mas também para garantir a qualidade do que é consumido pela população brasileira”, explicou.

Histórico - O Mapa submeteu à OIE, no final de 2006, proposta para que o Lanagro/SP se tornasse laboratório de referência para o diagnóstico de doença de Newcastle e influenza aviária. A organização sugeriu, então, que, por meio do Programa de Twinning, o laboratório incrementasse sua cooperação internacional. Dessa forma, o laboratório brasileiro pode adquirir expertise e ampliar sua participação internacional por meio de treinamentos e pesquisa.

Como consequência da parceria com o NVSL, será possível adotar novos métodos de diagnóstico, especialmente na área molecular e adquirir know how para produzir material de referência. Dessa forma, o Lanagro/SP estará preparado para participar da rede de laboratórios da OIE como centro colaborador ou laboratório de referência para diagnóstico da doença de Newcastle e a influenza aviária.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink