Burocracia no RS impede o uso de R$ 1 milhão da defesa sanitária
CI
Agronegócio

Burocracia no RS impede o uso de R$ 1 milhão da defesa sanitária

Pendências junto a fornecedores dificultam ações na fiscalização animal e vegetal
Por: -Sandra

Desde o ano passado, o governo do Rio Grande do Sul deixou de utilizar R$ 1,1 milhão para as estruturas dos Departamentos de Produção Animal (DPA) e Produção Vegetal (DPV). Os recursos obtidos através de convênio com o Ministério da Agricultura estão parados em uma conta do Banco do Brasil. Enquanto isso, as ações de defesa são realizadas com dificuldades por falta de recursos. Hoje, no Estado, algumas ações estão sendo realizadas pela Secretaria da Fazenda, em decorrência dos problemas enfrentados por fiscais, técnicos agrícolas, florestais e veterinários.

Conforme deputado estadual Jerônimo Goergen (PP), a partir da utilização da verba represada “o Estado poderá receber mais 600 mil que estão retidos por falta de negativas do Estado junto à União”. O parlamentar alerta que as dificuldades refletem em prejuízos para a realização de barreiras sanitárias, ações de defesa e prevenção.

Segundo técnicos da Secretaria Estadual da Agricultura, o DPA e o DPV recolhem, por mês, em taxas cobradas em indústrias e estabelecimentos, cerca de R$ 240 mil. No entanto, apenas 10% da arrecadação do Fundo Estadual de Apoio ao Setor Primário estariam sendo utilizados para o melhoramento do serviço de defesa sanitária. As estruturas das áreas vegetal e animal contam com mais de 1.400 servidores. As informações são da assessoria de imprensa do deputado estadual Jerônimo Goergen.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink