Cadeia produtiva do feijão se reúne em Castro/PR

Agronegócio

Cadeia produtiva do feijão se reúne em Castro/PR

O evento acontece nos dias 26 e 27 de novembro, no Parque de Exposições Dario Macedo em Castro
Por:
3371 acessos
Acontece nos dias 26 e 27 de novembro, no Parque de Exposições Dario Macedo em Castro, o 2º encontro Paranaense do Feijão e 2º encontro Brasileiro de comercialização do Feijão. O evento é uma realização do Sindicato Rural de Castro e Instituto Brasileiro do Feijão e legumes secos - IBRAFE.

O objetivo é preparar pequenos, médios e grandes produtores, para a nova safra, englobando aspectos de produção, consumo, nutricionais, comercialização, industrialização e gastronômico.

O evento, que ano passado teve grande repercussão junto a cadeia produtiva e reuniu grandes empresas e produtores de todo o estado, esse ano vem com novidades, um campo demonstrativo foi criado para seja possível verificar o trabalho das mais importantes instituições ligadas a área de feijão no país (IAPAR, Emater, Embrapa e IAC). São mais de trinta materiais de cultivares plantados, que serão apresentados aos participantes.

Grandes empresas do ramo de insumos também participam do encontro, entre elas, Syngenta, Basf, Ihara, Bayer, Agrichem, que também terão espaços demonstrativos de seus produtos.

“Essa é uma boa oportunidade de contato com técnicos e representantes de diversas entidades que trabalham para o sucesso da lavoura de feijão no país” comenta o coordenador do evento, Eduardo Medeiros Gomes.

Além do campo demonstrativo, o evento conta com diversas palestras, exposição de máquinas agrícolas, divulgação do resultado do concurso “Analista de feijão” de 2010, que ocorreu ano passado no 1º Encontro Paranaense do Feijão, além do festival gastronômico que será realizado em uma cozinha experimental da Embrapa e SENAC, com preparo de pratos à base de feijão. Feijoada vegetariana, brigadeiro e sorvete de feijão, serão preparados nas aulas show.

Estudantes de diversas áreas foram convidados para o evento e terão a oportunidade de ter contato com especialistas e conhecer de perto como funciona a cadeia produtiva do feijão, desde o campo a mesa do consumidor.

O evento contará com um circuito interno de TV que irá transmitir a programação da “TV Feijão” em tempo real nas telas espalhadas pelo parque e também pela internet. “Com a TV feijão, quem participar do evento, vai saber de qualquer ponto do parque, quais assuntos estão sendo discutidos nas palestras e quais as novidades que estão sendo expostas pelas empresas participantes” comenta o Eduardo Medeiros Gomes.

Festival gastronômico

Mais uma novidade desse ano é a cozinha experimental da Embrapa e SENAC, que irão apresentar pratos salgados e doces à base de feijão, entre eles, destacamos, brigadeiro, pé de moleque, feijoada vegetariana e sorvete de feijão.

Instituições de ensino superior participaram do evento com cursos ligados a área da gastronomia, engenharia de alimentos, nutrição e tecnologia em alimentos estarão presentes no evento.

A idéia é trabalhar o consumo do feijão para que o consumidor tenha alternativas de pratos e diversificação de cardápio, alem de saber um pouco mais sobre os valores nutricionais dos alimentos.

Na sexta-feira (26/10), haverá uma aula show na cozinha experimental da Embrapa às 11h e no sábado (27-11) ficara a cargo do SENAC também a partir das 11h.

Nos dois dias do encontro serão servidos almoço com pratos a base de feijão. Na sexta-feira (26-11) será servido, feijão mexicano, feijoada, saladas e outros pratos a base de feijão, além de uma sobremesa especial, Picolé de feijão azuki. No sábado, será servido uma feijoada completa.

O custo do almoço é de R$ 20,00 reais por pessoa.

Comercialização

O evento contará com diversos corretores, representantes de industrias, além de palestras voltadas ao tema da comercialização do produto. Assuntos que vem gerando discussões em todo o país e que refletem diretamente na economia das cidades.

Hoje o foco principal da cultura é pensar em qualidade do produto ofertado ao consumidor, manutenção, aumento do consumo per capta, novos métodos de processamento, comercialização e industrialização do produto no varejo.

Entre os temas das palestras estão: Mercado, oscilações de preços no ano de 2010, perspectivas de preços para a próxima safra e políticas agrícolas para o setor.

O preço do produto pago ao produtor rural em 2010 oscilou entre R$ 40,00 a R$ 200,00, a saca de 60 quilos, o que deixa o produtor rural ansioso quanto ao preço que será praticado na próxima safra implantada agora e que será colhida a partir do mês de dezembro.

As informações são da assessoria de imprensa do Sindicato Rural de Castro.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink