Café: Colheita será abreviada

Agronegócio

Café: Colheita será abreviada

Colheitadeiras de R$ 300 a R$ 500 mil prometem fazer o trabalho de 50 homens
Por:
187 acessos
As colheitadeiras de R$ 300 a R$ 500 mil prometem fazer o trabalho de 50 homens. O serviço que manualmente levaria três meses para ser feito nos cafezais não demanda mais que 10 dias com o equipamento.

A máquina passa por cima das plantas, enquanto as hastes batem nos galhos, colhendo somente os grãos da planta. “Aquele grão que está no chão e já sofreu o processo fermentativo fica lá, o que melhora a qualidade”, explicou o engenheiro agrônomo Renato Silva.


A colheitadeira utilizada pela Cocamar pertence a Andrade Beneficiamento de Café. A empresa com sede em Araguari (MG) conta com dez máquinas desse tipo e todas estão alugadas para produtores do Paraná e da região do Triângulo Mineiro. “Se você pedir por uma colheitadeira agora, só vou poder te entregar depois de agosto”, disse o empresário José Aparecido Perissato, que é sócio da Andrade.


O Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab) ainda não conta com um levantamento de quantas propriedades estão mecanizadas no Paraná. “Este processo é algo recente. As derriçadeiras manuais estão sendo utilizadas há cinco anos. Já a colheitadeira automotriz começou a ser usada há umas três safras na região de Carlópolis. A tendência é de que produtores ou associações se unam para alugar o aparelho”, afirmou o técnico que monitora o setor, Paulo Franzini. (MA)

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink