Café é tema de exposição

Agronegócio

Café é tema de exposição

Evento tem como mote a ligação da bebida com o cinema italiano
Por:
861 acessos
Dados históricos apontam que a planta do café é originária da Etiópia (África), já a bebida foi inventada pelos árabes. Posteriormente, no século XVIII, acabou por conquistar a Europa. No Brasil, chegou no fim do século XVIII, com plantações se espalhando pelo Rio de Janeiro e vale do Paraíba (SP). Sendo que no final do século XIX o Brasil já era o maior exportador de café do mundo, abastecendo a Europa e os Estados Unidos. Mais tarde os cafezais se expandiram para o Oeste de São Paulo, onde o trabalho também era realizado por imigrantes livres.


A partir de então os cafeicultores se tornaram os homens mais ricos do Brasil, sendo a base da autoridade do Imperador. Naquela época, os lucros do café levaram a uma recuperação econômica e a uma modernização do país. A expansão das lavouras para o interior de São Paulo levou à construção de ferrovias e também ao progresso tecnológico. Assim, as fazendas de café desbancaram o Nordeste e incentivaram a vinda de imigrantes europeus que foram quase escravizados. O café estimulava a circulação de dinheiro e o mercado consumidor, favorecendo o surgimento de empresários capitalistas brasileiros.


Neste ano será celebrado o momento Itália-Brasil, entre outubro de 2011 e junho de 2012. Durante as comemorações o Museu do Café, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, leva para a cidade de Salto, interior de São Paulo, a mostra “Itália, Café e Cinema”. A exposição é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, com apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e fica em cartaz até o dia 22 de janeiro, no Museu da Cidade de Salto (SP).


A mostra se concentra no diálogo entre cinema italiano e café, retratando por meio de painéis, objetos e textos como o país europeu tornou-se referência mundial na sétima arte e no preparo de uma das bebidas mais
consumidas do planeta. Entre os destaques, imagens de figuras inesquecíveis do cinema italiano, como Marcello Mastroianni, Sophia Loren, Gina Lollobrigida e Frederico Fellini.

“Itália, café e cinema” é o módulo itinerante da exposição “Qui si beve caffè”, em cartaz na sede do Museu do Café, em Santos. Depois de Salto, a mostra deve percorrer outras cidades do interior paulista, especialmente aquelas ligadas ao café e à imigração italiana. “O mundo não saberia o que é um bom café se não fosse a Itália, o mesmo pode-se dizer do cinema”, resume Marília Bonas, diretora técnica do Museu do Café.


O Museu da Cidade fica à rua José Galvão, 104, no Centro de Salto. O horário de funcionamento é de terça-feira a domingo das 9h às 17h. A entrada é franca.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink