Café enfrenta a maior seca em 30 anos no sul de Minas Gerais

Agronegócio

Café enfrenta a maior seca em 30 anos no sul de Minas Gerais

Chuva vai aparecer, de forma irregular, somente nos últimos dias do mês
Por:
1379 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
O maior estado produtor nacional de café vem sofrendo com a forte estiagem ao longo desse ano. Até mesmo os cafeicultores do sul de Minas Gerais (Campos do Meio, Boa Esperança, Paraguassu, Três Pontas, Varginha, Guaxupé, e Campos Gerais) estão perdendo as plantações. O prejuízo fica em torno de 30%, mas em algumas lavouras o dano chega a ficar na faixa dos 70%.

Segundo o meteorologista da Climatempo Alexandre Nascimento, os cafeicultores vão ter que esperar um pouco mais pela chuva. “A previsão é de tempo seco e temperatura elevada nesta e na próxima semana, justamente porque no fim de setembro e começo de outubro houve chuvas muito irregulares e fracas. Somente nos últimos dez dias do mês volta a chover, cerca de 40 a 60mm, mas ainda de forma irregular”, afirmou Nascimento.

Por ser uma cultura perene, o café sofre o ano inteiro com as mudanças climáticas. Por isso, os cafeicultores têm intensificado a manutenção das lavouras com o sistema de esqueletamento para que o solo se prepare e cesse a produção durante um ano. Com essa prática os produtores podem reduzir os custos do preparo do café para tentar garantir um bom aproveitamento na safra de 2016.

De acordo com o cafeicultor José Márcio Rocha, a situação só piora. “Se fosse para eu começar hoje, com 63 anos, eu já não passaria esses ensinamentos para os meus filhos. E essa atividade provoca uma instabilidade muito grande. Hoje em dia, me sinto muito desvalorizado, sem contar que para começar a cultura de café precisa ter um bom recurso financeiro, já que a estrutura para a manutenção da lavoura é cara e o retorno desse investimento é demorado”, afirma.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink