Calor no Sul, Paraguai e Argentina marca o clima nesta semana

Agronegócio

Calor no Sul, Paraguai e Argentina marca o clima nesta semana

Chuvas continuam irreglares, diz meteorologista do INMET
Por:
2606 acessos
por Luiz Renato Lazinski, Meteorologista do INMET/MAPA

Durante o mês de novembro, os volumes de precipitação ficaram abaixo da média na maior parte do sul do Brasil. Somente no oeste da Região Sul as chuvas ficaram entre o normal e ligeiramente acima da média. No Paraná, os maiores volumes de chuva foram observados no oeste, enquanto no restante do estado as precipitações ficaram abaixo do normal para época do ano. As precipitações também apresentaram uma irregularidade muito grande na sua distribuição, intercalando períodos curtos de muita chuva com períodos maiores, de até 15 dias ou mais, sem precipitação. Os baixos volumes observados e a irregularidade das chuvas, ocasionaram uma diminuição da umidade no solo e consequente deficiência hídrica em boa parte da Região Sul. Nas regiões Sudeste, Centro-oeste e nas áreas produtoras de grãos do Nordeste, a estação das chuvas, que começou mais tarde este ano, regularizaram ao longo de novembro, e foram observadas precipitações mais regulares e com volumes acima da média, com isto, houve uma recuperação da umidade no solo e, na maior parte destas regiões o clima tem favorecido o desenvolvimento das lavouras.


As temperaturas mantiveram-se ligeiramente acima da média em novembro, em todo estado do Paraná e centro-sul do Brasil. Continuamos observando o comportamento da temperatura, semelhante ao mês anterior, intercalando períodos quentes com quedas bruscas de temperatura, o que é típico de primavera.


As anomalias das temperaturas superficiais da água do mar, no Oceano Pacífico Equatorial, permaneceram mais aquecidas com valores acima da média a oeste da região, porém, persistiram anomalias negativas, nas áreas mais a leste, próximas à costa da América do Sul. Estas condições observadas, aliadas a outras variáveis climatológicas, continuam indicando uma situação de neutralidade climática (nem “El Nino” e nem “La Nina”). Os prognósticos dos modelos climáticos globais, continuam mantendo a tendência do último mês, da continuidade de uma situação de neutralidade, pelo menos até o início do próximo ano.


Analisando os modelos de prognóstico climáticos, continua tendência, para os próximos meses, de precipitações com volumes ligeiramente abaixo da média para região centro-sul do Brasil, porém, vale ressaltar que estas precipitações devem continuar seguindo a mesma tendência de novembro, apresentando uma distribuição irregular, intercalando períodos curtos com muita chuva com períodos maiores com pouca ou nenhuma precipitação, devido a continuidade de uma situação de neutralidade climática. Para as regiões Centro-oeste, Sudeste e áreas produtivas do Nordeste, a estação das chuvas que chegou mais tarde este ano, voltaram ao normal e devem continuar seguindo este padrão normal, com chuvas bem distribuídas e dentro da média, na maior parte destas regiões.


Com relação às temperaturas, os prognósticos indicam que devemos continuar observando temperaturas levemente acima da média no centro-sul do Brasil. Nas outras regiões, as temperaturas devem se comportar dentro da normalidade para a época do ano.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink