Caminhoneiros de MT recebem informações sobre Paranaguá

Agronegócio

Caminhoneiros de MT recebem informações sobre Paranaguá

Por:
277 acessos
Administração do porto paranaense quer reduzir fila e tempo de espera

Na próxima semana, a primeira do mês de abril, as informações sobre a descarga de grãos no porto de Paranaguá (PR) chegam às rodovias do interior de São Paulo. Os informativos da Operação Safra serão divulgados nas praças de pedágio nos municípios de Caiuá e Presidente Bernardes, na Rodovia Raposo Tavares (SP-270). Os pontos são estratégicos para atingir os caminhoneiros vindos de Mato Grosso, segundo Estado de origem dos grãos descarregados em Paranaguá.


De acordo com o setor de estatísticas da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), dos 65.087 caminhões que descarregaram grãos no Porto este ano, até o último dia 20 de março, 14.911 eram provenientes de Mato Grosso. No total, os veículos carregavam um total de mais de 546 mil toneladas, o principal produto transportado, nesse período, foi soja: quase 273 mil toneladas.

“Além do grão, recebemos farelo de soja (quase 140 mil toneladas) e milho (mais de 133 mil toneladas) do Mato Grosso. Depois do Paraná, o Estado é a principal origem dos grãos descarregados aqui. Por isso, é fundamental que as informações da Operação Safra cheguem também a esse grande polo produtor. Até agora, o que tem ajudado a evitar os transtornos das filas de caminhões nas rodovias e terminais de descarga é exatamente essa comunicação que desde o início do ano estamos fazendo – aliada aos ajustes no sistema de cadastramento dos transportadores. Por isso, temos de continuar”, afirma o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.


Ainda de acordo com Dividino, se as regras de descarga dos caminhões e carregamento dos navios forem observadas por todos os atores envolvidos no escoamento da safra todos ganham: “desde o produtor até o consumidor final, seja no Paraná ou em qualquer outro estado”, completa o superintendente.

Apesar de representar uma parcela menor, na origem dos grãos, o interior paulista também é importante para essa comunicação. Do total recebido pelo porto de Paranaguá, 2.558 caminhões vieram do estado vizinho. No total, carregavam quase 84 mil toneladas, o principal produto transportado da região foi o farelo de soja (quase 64 mil toneladas).


APOIO – Essa ação da Operação Safra no interior paulista tem o apoio da Concessionária Auto Raposo Tavares (CART). Segundo dados da empresa, o movimento de caminhões na SP-270, a Raposo Tavares, aumentou significativamente nesta safra de 2013, na comparação com 2012.

Entre 1.º de janeiro e 20 de março deste ano, passaram pela praça de pedágio de Presidente Bernardes, localizada no km 590 da rodovia, 252.498 caminhões, número 19,1% maior que no mesmo período de 2012. Na praça de pedágio de Caiuá, localizada no km 639 da via, no mesmo período, foram 207.930, 18,7% mais que no mesmo período de 2012.


“O Corredor Raposo Tavares é uma importante interligação entre as regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. E, portanto, de grande relevância no escoamento da produção agrícola dessa região para o Sudeste e Sul”, afirma Túlio Toledo Abi-Saber, diretor-presidente da concessionária.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink