Campanha incentiva consumo de carne suína no PR
CI
Agronegócio

Campanha incentiva consumo de carne suína no PR

Estratégia é uma ofensiva à queda de preços registrada há mais de um ano
Por:

A Associação Paranaense dos Criadores de Suínos (Assuinopar) quer estimular o consumo da carne de porco. Para isso, a entidade aderiu à campanha nacional "Um novo olhar sobre a carne suína", que pretende esclarecer a população sobre as qualidades do produto, derrubando mitos e estigmas que a carne ainda carrega. A estratégia é uma ofensiva à queda de preços registrada desde outubro de 2005, quando foram levantados os primeiros embargos às carnes paranaenses devido à suspeita de febre aftosa, proibindo as exportações.

Desde então, o Estado acumula um excedente de cerca de 65 mil toneladas de carne, segundo a Assuinopar. E maior oferta no mercado interno reflete diretamente em preços menores. Atualmente, a cotação do quilo por peso bruto varia de R$ 1,55 a R$ 1,60. "Estamos trabalhando com prejuízo de R$ 0,80 por quilo produzido. Para que a atividade fique equilibrada a cotação deveria chegar a R$ 2,40 o quilo do peso bruto", salienta José Luiz Vicente da Silva, presidente da Regional Norte da Assuinopar e diretor de Suinocultura da Sociedade Rural do Paraná.

Os reflexos, segundo ele, ocorrem diretamente no maior abate de matrizes e na falência dos produtores. "Desde outubro de 2005 a produção estadual caiu cerca de 40%", diz. O recuo na produção ainda fez cair em cerca de 40% os empregos gerados pela atividade. O Paraná é o segundo maior produtor nacional de carne suína, enquanto o Brasil tem a quinta maior produção mundial. Além de todas estas questões mercadológicas, o País tem registrado uma queda no consumo. Há quatro anos, os brasileiros consumiam anualmente 13 quilos de carne suína. Atualmente, a demanda individual está em 9,75 quilos anuais.

"Queremos retomar esse consumo interno, que foi caindo porque outras carnes - como o frango - começaram a ser vendidas por preços muito baixos", afirma o presidente regional da Assuinopar. A expectativa da entidade é que o consumo per capita retome aos 13 quilos até meados do próximo ano. Além da campanha desenvolvida para exaltar as qualidades da carne suína, a entidade pretende também promover degustações nos supermercados, incrementar alguns cortes e ainda quer firmar parcerias com as prefeituras para introdução dos suínos na merenda escolar.

A intenção é mostrar aos prefeitos, secretários de Educação e nutricionistas as qualidades da carne suína. Além disso, uma equipe da Assuinopar ainda ministra cursos para as merendeiras sobre as várias formas de preparo. Já as crianças recebem uma revista educativa que incentiva o consumo da carne. "Queremos que as crianças comam na escola e peçam aos seus pais. Elas são os consumidores do futuro", salienta Silva.

Segundo ele, a carne mais consumida no mundo é a suína, que abocanha 48% de toda a demanda. Em seguida, vem frango, peixe e bovinos. No mercado interno, o consumo dos suínos está dividido entre os embutidos e a carne in natura. "Pretendemos esclarecer que há outras formas de preparo da carne in natura. Também queremos implementar outros cortes porque a tradição nacional não é retalhar tanto a carne suína, que também tem coxão mole, alcatra e músculo, como a bovina", explica.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink