Campanha incentiva monitoramento da ferrugem

Agronegócio

Campanha incentiva monitoramento da ferrugem

Aprosoja auxiliará produtores em Rondonópolis (MT)
Por: -Márcio Sodré
542 acessos

Os produtores de soja devem estar atentos novamente quanto à incidência da ferrugem asiática nas lavouras. A Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja) iniciou nesta terça-feira (14/12) uma campanha de monitoramento da ferrugem asiática no município de Rondonópolis. Neste ano a entidade também vai auxiliar os produtores no monitoramento de outras doenças, a exemplo da antracnose, mela e doenças de final de ciclo.

A engenheira agrônoma da Aprosoja, Ana Laura Triches Bertol, informa que os pontos de coleta com mini laboratórios estão espalhados em 16 municípios de Mato Grosso, sendo um deles em Rondonópolis, no Sindicato Rural do Município. Cabe aos produtores fazer a coleta das amostras de folhas nas lavouras e enviar aos pontos de coleta mais próximos, para a realização da análise.

Conforme Ana Laura, nesta fase inicial da lavoura, o principal indício da presença do fungo são pequenos pontos pretos nas folhas, que depois vão se alastrando. Ela recomenda que, após a coleta, as folhas com suspeita da doença sejam colocadas dentro de um saquinho plástico e, em seguida, fechado, para estimular a esporulação. O serviço de análise das amostras pela Aprosoja é gratuito.

A engenheira agrônoma repassa, que até esta quarta-feira, a safra 2010/11 de soja em Mato Grosso não havia nenhum registro de ferrugem da soja, através do programa de monitoramento da Aprosoja. Na safra 2009/10, repassa que foram entregues nos pontos de coletas da Aprosoja 4003 amostras em Mato Grosso, sendo 623 com ferrugem.

Apesar da tranquilidade no campo até agora, Ana Laura atesta que o produtor deve ficar alerta devido à alteração do tempo esta semana. Ela explica que a principal condição para proliferação da doença é a alta umidade e a baixa temperatura. “A orientação é para o produtor ficar alerta e fazer o monitoramento constante da lavoura”, repassa, lembrando que a disseminação do fungo é de três metros ao dia.

Vale lembrar que a ferrugem asiática é uma das principais doenças que tem atingido as lavouras de soja nos últimos anos, elevando consideravelmente os custos de produção, com aplicações de fungicidas.

Em Rondonópolis, as amostras de folhas de soja podem ser entregues na Rua Otávio Pitaluga, 781, na Vila Aurora, nova sede do Sindicato Rural do Município.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink