Campo Mourão (PR) finaliza plantio de soja

Agronegócio

Campo Mourão (PR) finaliza plantio de soja

A chuva dos últimos dias favoreceu o desenvolvimento das lavouras
Por: -Antonio Márcio
1 acessos

Em Campo Mourão e nos municípios mais próximos, o plantio de soja finalizou. A chuva que tem caído nos últimos dias está favorecendo para o desenvolvimento das lavouras. É preciso que continue chovendo, pois ainda falta uma pequena parcela de sementes para brotarem.

Algumas lavouras semeadas mais precoce já estão em fase de floração. De acordo com o engenheiro agrônomo da Coamo Agroindustrial Cooperativa, Luiz Voytena, alguns produtores optaram por plantar a soja mais cedo, visando o cultivo de milho safrinha.

O clima que está favorecendo para o desenvolvimento do soja também é propicio para o aparecimento da ferrugem asiática. Voytena pondera que ainda não existe nenhum caso registrado na região de Campo Mourão porém, os produtores devem permanecer em alerta. "O monitoramento nas lavouras deve ser constante. Ainda é cedo para o aparecimento da ferrugem, mas quando a soja estiver na floração o monitoramento deve ser ainda mais constante", diz.

O agrônomo diz que previsão é de clima ideal para o ataque da ferrugem, pois deverá ser chuvoso e com temperaturas elevadas. Voytena observa que nos últimos dois anos a situação estava diferente porque o clima foi seco e a doença acabou não atacando severamente as lavouras.

De acordo com Voytena entre 70 e 80% das lavouras de soja são transgênica. Ele assinala que os produtores rurais optaram pela soja geneticamente modificada por dois motivos. O primeiro pelo fato de existir algumas ervas daninhas de difícil controle que estava atacando as lavouras convencionais. "Alguns produtores gastavam dinheiro e não conseguiam controlar as ervas", salienta. O segundo motivo é pelo custo dos pacotes tecnológicos que é mais barato com soja transgênica.

No Paraná já são dois focos de ferrugem asiática registrados na safra 2006/07. O primeiro foi confirmado pela Universidade Unioeste, na região de Marechal Cândido Rondon, oeste do estado, em plantas de soja voluntárias, em estádio vegetativo.

De acordo com a Embrapa/Soja de Londrina, este ano, a chuva do início de setembro, favoreceu a instalação precoce de muitas lavouras, principalmente nas regiões Norte e Oeste do Paraná, em Mato Grosso do Sul e em Mato Grosso. "Também temos observado que há uma predominância de cultivares precoces. Assim, está se configurando uma situação de controle mais tranqüila para a ferrugem nessas primeiras áreas. A soja precoce deve terminar a safra com um número menor de aplicações", avalia Luiz Weber, engenheiro agrônomo ligado ao projeto SOS Soja, da Bayer CropScience, entidade integrante do Consórcio Antiferrugem. Segundo Weber, no Sul, as geadas do início de setembro, também proporcionaram um vazio sanitário, pois eliminaram as plantas voluntárias (soja guaxa ou tigüera) e possíveis focos da ferrugem.

A previsão de ocorrência do fenômeno "El niño" aumenta a expectativa em relação à ferrugem para o estados do Sul. "Com o El Nino, ocorre mais chuva no Sul, secas no Nordeste e pouca interferência no Centro-Oeste. Entretanto, até o momento, não se verificou alteração drástica no regime de chuvas, mas é bom estar atento", explica o pesquisador José Renato Bouças Farias, da Embrapa Soja.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink