Captação de água para irrigação na Bacia do Sinos entra em regime de intermitência

Agronegócio

Captação de água para irrigação na Bacia do Sinos entra em regime de intermitência

Por:
22 acessos
A captação de água para as lavouras de arroz na Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos entrou em regime de intermitência nesta segunda-feira (03). A medida, determinada pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema), se faz necessária por conta do baixo nível do rio - leitura realizada nesta manhã indica que nível da água na bomba da Comusa, em Novo Hamburgo, estava em 70 centímetros.


O regime de intermitência tem por objetivo reduzir eventuais impactos no abastecimento da população da região do Vale do Sinos. A captação volta ao sistema normal quando o nível da água atingir patamares superiores a 72 centímetros.

A determinação segue o acordo firmado em outubro, no âmbito do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Comitesinos). Por esse acerto, que vigorará até 30 de março de 2013, sempre que o nível do Rio dos Sinos atingir 80 centímetros sobre o crivo da bomba da Corsan em Campo Bom, 72 centímetros na bomba da Comusa, em Novo Hamburgo, e 60 centímetros sobre a bomba do Semae, em São Leopoldo, os arrozeiros entram em regime de intermitência.


Ou seja, os produtores param de bombear por 48 horas, retomam o bombeamento por outras 48 horas e param novamente pelo mesmo período. Isso até que o Rio dos Sinos volte a subir. No entanto, se a marca cair até os 70 centímetros em Campo Bom, 60 em Novo Hamburgo e 50 em São Leopoldo, o bombeamento para lavouras é totalmente suspenso.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink