Caravana Embrapa alerta sobre pragas nas lavouras do Pará
CI
Agronegócio

Caravana Embrapa alerta sobre pragas nas lavouras do Pará

Depois de percorrer 11 estados e o Distrito Federal, ação chega ao PA
Por:
As duas cidades a receberem os pesquisadores e técnicos da Embrapa são Paragominas (18.03) e Santarém (20.03), importantes polos de grãos do estado. O objetivo é levar orientações a técnicos de cooperativas,  extensionistas e outros multiplicadores sobre as estratégias de controle das principais pragas que têm causado prejuízos aos agricultores brasileiros, principalmente a Helicoverpa armigera. A praga dizima plantios de soja, milho, algodão e outras culturas alimentares e é uma ameaça à produção de grãos no Brasil, que bateu recorde na safra 2012/2013 com 184 milhões de toneladas, 10% a mais que a safra anterior.


Os pesquisadores e técnicos vão destacar, entre outros pontos, o manejo integrado de pragas (MIP), prática que reúne diversas técnicas possíveis de controle, buscando manter a população de pragas abaixo do nível de dano econômico nas lavouras. Apesar de os produtores reconhecerem a importância do MIP na agricultura, a Embrapa pretende reforçar junto aos multiplicadores os diferentes aspectos e técnicas para o manejo integrado, incentivando a adoção da prática como um importante método de controle da praga.

Em Paragominas, o evento acontecerá no auditório do Sindicato dos Produtores Rurais de Paragominas no próximo dia 18 de março. Dois dias depois, 20 de março, o auditório da Universidade Federal do Oeste do Pará (Campus Tapajós), em Santarém, será a sede da segunda visita da Caravana no Pará.

Após as apresentações, será promovido um debate para que o público possa interagir com os especialistas, trocar experiências e tirar dúvidas. Também serão distribuídos materiais informativos produzidos pela Embrapa sobre identificação e controle da Helicoverpa armigera e sobre o manejo integrado de pragas (MIP).


Pará - Há rumores entre os técnicos e produtores das regiões de Paragominas e Santarém de que a Helicoverpa armigera foi encontrada em algumas lavouras. Técnicos da Emater, da Adepará, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e de instituições privadas já confirmaram a presença nos eventos.

Segundo o supervisor do Núcleo de Apoio à Pesquisa e Transferência de Tecnologia da Embrapa na cidade de Paragominas, pesquisador Jamil Chaar El Husny, a Caravana Embrapa de Alerta às Ameaças Fitossanitárias chega em um momento estratégico. "A região é uma importante produtora de grãos e com os rumores do aparecimento Helicoverpa armigera os produtores têm demonstrado preocupação. A Caravana chega em um momento oportuno para dar as informações técnicas para o controle dessa e de outras pragas", afirma o pesquisador.

Ainda no primeiro semestre, a Embrapa Amazônia Oriental deve realizar eventos como a Caravana Embrapa nas cidades de Redenção e Conceição do Araguaia, ambas no sul do estado.

Caravana - Composta por pesquisadores e técnicos divididos por equipes, a Caravana Embrapa de Alerta às Ameaças Fitossanitárias começou suas atividades em dezembro de 2013 com eventos em Goiás, no Distrito Federal e no Rio Grande do Sul, reunindo mais de 1,3 mil extensionistas e técnicos rurais. Até o final de março, os especialistas percorrerão todas as regiões produtoras do País, levando informações emergenciais sobre o manejo da Helicoverpa armigera e outras pragas.


As atividades foram retomadas em janeiro. Desde então, as equipes já visitaram Mato Grosso, Maranhão, Piauí, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Bahia, Sergipe e Alagoas.

Segundo o assessor da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Paulo Roberto Galerani, mais do que orientações e técnicas necessárias para a solução de problemas causados pela Helicoverpa armigera, a Caravana busca levar a mudança no campo, reforçando para os produtores a importância da adoção do manejo integrado, com foco no agroecossistema como um todo. “Assim teremos um cenário mais favorável já na próxima safra. É importante que os produtores saibam que o resultado não será imediato, mas dependerá de uma mudança de atitude para que eles possam controlar a infestação da praga em sua lavoura”, explica.

A Caravana é uma iniciativa da Embrapa e conta com apoio da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja) e Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Em Paragominas, o evento tem a parceria do Sindicato dos Produtores Rurais de Paragominas e da Prefeitura Municipal do município. Já em Santarém, a parceria é com a Universidade Federal do Oeste do Pará, a Prefeitura Municipal de Santarém e do Sindicato Rural de Santarém.

O roteiro completo pode ser acompanhado no site da caravana (http://www.embrapa.br/caravana), onde é possível baixar os materiais informativos. 
 
Para a imprensa: os pesquisadores da caravana e o diretor nacional de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Ladislau Martins Neto, estarão na sede da Embrapa de Belém nesta quarta-feira, de 12h às 16h, disponíveis para atendimento à imprensa.
 
Serviço: As atividades da Caravana Embrapa são direcionadas para técnicos rurais e extensionistas de cooperativas, associações, empresas privadas, órgãos públicos e autônomos. As inscrições são gratuitas e serão realizadas nos dias e locais dos eventos. 


Paragominas (PA)
18 de março – 14h às 18h
Auditório do Sindicato dos Produtores de Paragominas
Rodovia PA 125, s/n, Centro
Contato: (91) 9112-4688 / amazonia-oriental.imprensa@embrapa.br

Santarém (PA)
20 de março – 14 às 18h
Auditório da UFOPA – Campus Tapajós
Rua Vera Paz, s/n, Salé
Contato: (91) 9112-4688 / amazonia-oriental.imprensa@embrapa.br

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink