Carne brasileira para árabes bate novo recorde

Agronegócio

Carne brasileira para árabes bate novo recorde

Egito, Emirados, Argélia e Líbia lideram mercado consumidor
Por:
829 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

As exportações de carne bovina brasileira para os países árabes apresentaram, de janeiro a abril deste ano, crescimento de 39% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em relação ao mundo, o produto teve desempenho 9% superior. O produto, sozinho, representou quase 15% do total das importações de produtos do Brasil pelas nações do Oriente Médio e Norte da África. A informação é da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira.

“Por um lado, os árabes estão repondo estoques. O importador da região está se preparando para o Ramadã, que se inicia no dia 28 próximo. Em 2013, o ramadã iniciou em 9 de julho. Por outro, atendendo à crescente demanda interna. No caso dos Emirados Árabes, por exemplo, podemos incluir, ainda, a reexportação para outras nações, já que Dubai funciona como um hub para abastecer outras regiões do globo”, explicou o diretor geral da Câmara Árabe, Michel Alaby.

Só o Egito aumentou a compra da mercadoria em mais de 80%, figurando no topo do ranking dos países árabe e em quinto no mundo. Também apresentando crescimento, em seguida, estão Emirados Árabes Unidos (34%), Argélia (37%), Líbano (5%), Palestina (29%), Tunísia (45%), Omã (15%), Marrocos (15%) e Ilhas Comores (quase 500%). São Paulo foi o estado brasileiro com maior representatividade, responsável por quase 30% do total exportado aos árabes.

“O aumento das exportações de carne são explicados principalmente pela performance do Egito, Emirados e Argélia, pois juntos esses países representam 76% do total das exportações brasileiras para os países árabes. Destaque especial também vai para a Líbia. Dentre os produtos que mais cresceram em volume de vendas para essa nação em particular nos cinco primeiros meses de 2013, a carne bovina chegou a US$ 30,2 milhões. O número é 23,8% superior ao mesmo período do ano anterior”, acrescentou Alaby.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink