Carne de frango: disponibilidade interna recua quase 1%
CI
Carne

Carne de frango: disponibilidade interna recua quase 1%

Objetivo é acompanhar a evolução da disponibilidade interna de carne de frango no decorrer do exercício
Por:

Recomendação inicial àqueles que costumam avaliar a evolução da disponibilidade interna mensal de carne de frango a partir das projeções de produção e das exportações do produto: abandonem temporariamente esse hábito. Porque é absolutamente improvável, por exemplo, que a disponibilidade interna de julho passado tenha recuado mais de 25% - tanto em relação ao mês anterior como ao mesmo mês de 2017 - sem que o mercado tenha dado o mínimo sinal de reação. Ou seja: algo está errado. E o erro, aqui, vem dos números de exportação divulgados pela SECEX/MDIC.

Em suma, se o objetivo é acompanhar a evolução da disponibilidade interna de carne de frango no decorrer do exercício, o melhor, provavelmente, é ficar com os resultados acumulados nos sete primeiros meses do ano. E eles indicam que, após alguns meses de oferta crescente em relação ao ano passado, o total aparente disponibilizado no período é, agora, 0,81% menor que o dos mesmos sete meses de 2017.

Adotado esse padrão, observa-se que a média mensal ofertada entre janeiro e julho foi de 782,5 mil toneladas de carne de frango. E esse volume, considerada a população apontada pelo IBGE para 1º de julho de 2018 (perto de 208,5 milhões de habitantes), proporcionou uma disponibilidade interna mensal da ordem de 3,750 kg per capita – o equivalente a pouco mais de 45 kg per capita anuais.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink