Carnes: Fechamento do ano apresenta crescimento em MT


Agronegócio

Carnes: Fechamento do ano apresenta crescimento em MT

2011 teve alta de 22,38% sobre o valor das exportações de 2010
Por:
839 acessos
Comércio externo de carnes em Mato Grosso encerrou 2011 com alta de 22,38% sobre o valor das exportações de 2010. Majoração é consequência da alta no preço da carne brasileira, principalmente com relação à carne bovina. Ao todo, foi contabilizado US$ 1,360 bilhão no ano passado ante US$ 1,112 bilhão no ano anterior.


Volume de carne comercializado passou de 391,107 mil toneladas para 411,175 mil (t), sendo que no caso da carne vermelha esta variação foi negativa. Em 2010 o Estado exportou 190,783 mil toneladas de carne bovina e no ano passado foram 871,088 mil toneladas. Apesar disso, o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Luciano Vacari explica que houve um aumento de preço da carne brasileira no mercado internacional, o que garantiu o crescimento apesar do embargo russo. “Como a produção de outros países ficou comprometida, o produto brasileiro foi valorizado no cenário externo. Por isso houve crescimento”. Segundo Vacari, sem o embargo da carne brasileira pelos russos e sem a crise na Europa, o Estado poderia ter crescido também com relação ao volume negociado. Ainda de acordo com o representante da Acrimat, o sucesso financeiro do setor é devido ao esforço dos exportadores em buscarem mercado em outros países.


Frango também trouxe bons resultados para a balança comercial mato-grossense em 2011, com uma evolução de 47% e US$ 438,118 milhões comercializados nos 12 meses do ano. Em 2010 este montante foi de US$ 297,681 milhões. Presidente da Associação Mato-Grossense de Avicultores (Amav), Tarcísio Schroeter, conta que este crescimento foi consequência da fusão de duas grandes indústrias brasileiras. “Com a união, as empresas  puderam chegar a mercados que ainda não tinham alcançado e otimizar a produção em suas unidades”.


Para 2012, a expectativa é de que o setor mantenha os números ascendentes, porém com uma rentabilidade maior para os produtores. “Esperamos que o preço dos insumos, como soja e milho, reduza e assim aumente a renda do criador”.

Carne suína foi a única a ter desempenho ruim em 2011, com a queda de 48% nas embarcações. Foram US$ 37,165 milhões ante US$ 72,855 milhões em 2010. Diretor-executivo da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), Custódio Rodrigues, explica que houve mais oferta no mercado, sobretudo depois do embargo russo.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink