Cartão rotativo vai impulsionar produção agrícola no oeste baiano

Agronegócio

Cartão rotativo vai impulsionar produção agrícola no oeste baiano

O governo do Estado trabalha em parceria com as prefeituras do estado buscando atrair investimentos para esta região
Por:
907 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

O governo do Estado trabalha em parceria com as prefeituras do estado buscando atrair investimentos para esta região

“Saímos de pouco mais de 200 mil hectares cultivados no Oeste para 2.200 milhões, e o Banco do Nordeste sempre foi grande incentivador desse crescimento, uma confirmação também do prestígio que os produtores da região alcançaram. É isso o que a gente precisa, desta atenção das instituições financeiras, cada vez mais próximas dos produtores rurais baianos”, constatou o secretário da Agricultura da Bahia, Vitor Bonfim, durante lançamento do Cartão BNB Agro. Sem cobrança de anuidade e de caráter rotativo, o cartão BNB será acessível aos micros e grandes produtores, concedendo até R$ 1 milhão de limite de crédito, com taxa de juros anual que variam de 7,65% a 10%, conforme o porte do cliente. O evento aconteceu na sede do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães, importante polo do agronegócio nordestino, na região oeste do estado, nesta sexta-feira (14).

“A Secretaria da Agricultura (SEAGRI) vem trabalhando em parceria com as instituições representantes dos produtores rurais baianos como AIBA, ABAPA e sindicatos rurais, para garantir àqueles que adquiriram terras na região oeste há 20, 30 ou mais anos, permaneçam produzindo. Precisamos avançar, como já temos conversado com a AIBA, para realizar um estudo e definir o potencial do aquífero da região, nas águas subterrâneas e de superfície, facilitando o acessa às outorgas de água, e dar passos mais largos. Agora com este instrumento de acesso facilitado ao crédito, empreendido pelo BNB, queremos ver a área irrigada se desenvolver, diminuindo a dependência das chuvas”, ressaltou Bonfim.

O secretário destacou o potencial agrícola do oeste baiano. “São Desidério, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, já são uma fronteira agrícola bastante conhecida e consolidada, mas temos área imensa para expandir, sobretudo nos municípios de Jaborandi, Cocos, Correntina. O governo do Estado trabalha em parceria com as prefeituras do estado buscando atrair investimentos para esta região. Já iniciamos o diálogo com o governo Federal, junto com as pastas de Infraestrutura Hídrica e Meio Ambiente do Estado, para resolver o problema de fornecimento de energia elétrica, e esse é um dos entraves do desenvolvimento da agricultura irrigada no oeste. O diálogo visa fazer com que a Bahia participe do próximo leilão de geração de energia eólica, que será realizado ainda este ano, superando as dificuldades de linhas de transmissão”, disse.

Bonfim explicou que através da Agência de Defesa Agropecuária (ADAB), vinculada à SEAGRI, “temos feito todo o esforço para conseguir as certificações de zona livre, e recentemente o estado foi reconhecido como livre de Peste Suína Clássica. Uma oportunidade para quem já trabalha com cultivo de grãos e pode avançar para produção de proteína animal, grande mercado para o qual o BNB pode fomentar novas linhas de crédito também. Firmamos parceria com um grupo português, que vai se instalar no município de Barra, para trabalhar com a suinocultura, trazendo 15 mil matrizes inicialmente, atraídos pelo potencial que a região possui em produção de grãos”, pontuou.

Criado com o propósito de incentivar o desenvolvimento da produção agropecuária na região Nordeste, através da simplificação do acesso ao crédito rural, o cartão BNB permitirá o financiamento para aquisição de máquinas, equipamentos e veículos com o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) - responsável por financiar investimentos de longo prazo, assim como capital de giro e custeio - em até 72 meses, com prestações anuais e direito a bônus de adimplência de 15% sobre os juros, em caso de pagamento em dia. Além disso, o BNB vai possibilitar a efetuação de contratações no âmbito das linhas de longo prazo do FNE.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink